Segundo Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, técnico fazia manutenção em geradores e foi eletrocutado. Incêndio no prédio deixou outro funcionário ferido

Um incêndio atingiu o subsolo do Ministério do Esporte, em Brasília, na tarde desta quinta-feira, e provocou a morte de um funcionário que realizava manutenção no local. No mesmo prédio, funcionam também o Ministério do Desenvolvimento Agrário e a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.

De acordo com o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, o incêndio foi provocado por uma explosão em um dos seis geradores que ficam no prédio por volta das 15h40. O acidente ocorreu enquanto funcionários da Companhia Energética de Brasília (CEB) faziam manutenção nesses equipamentos, responsáveis pelo abastecimento da Esplanada dos Ministérios. As manutenções de rotina são feitas aos finais de semana e feriados.

O técnico da CEB Wilson de Pádua Pires, de 54 anos, foi jogado contra a parede por conta da explosão. Ele foi eletrocutado, segundo os bombeiros, sofreu um traumatismo crânio-encefálico e uma parada cardíaca. Segundo o major Wesley da Costa, que lidera o trabalho dos bombeiros no local, por coincidência, uma viatura do Corpo de Bombeiros passava pela Esplanada no momento em que o incêndio começou e prestou os primeiros socorros a Wilson. Ele foi reanimado e levado ao Hospital de Base de Brasília, mas não resistiu e morreu após ser atendido. Wilson estava a seis meses de se aposentar.

Outro técnico, José Pereira dos Santos, 53 anos, está internado no setor de queimados do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN).

O sub-secretário de Operações da Defesa Civil, coronel Sérgio Bezerra, contou que o sistema de controle automático de chamas do ministério não funcionou. Em caso de incêndio, o sistema deveria ser acionado automaticamente para inundar a área, o que não ocorreu e será investigado.

Outra equipe de funcionários da CEB está no local avaliando os estragos e a Esplanada ficará sem luz até que o problema seja avaliado. O fogo, em princípio, não destruiu patrimônios do edifício. 

*Com reportagem de Vasconcelo Quadros, iG Brasília.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.