Ainda não foi confirmado se afastamento tem relação com os ataques ou com divulgação de vídeo em que detentos comemoram com comparsas onda de violência

Agência Estado

Após o vazamento de uma gravação em vídeo em que detentos do Complexo Penitenciário de São Pedro de Alcântara, localizado na Grande Florianópolis, cumprimentam comparsas pelo "apoio e empenho em prol da facção" nos ataques a bases policiais e ônibus em Santa Catarina, o diretor do presídio, Carlos Alves, pediu afastamento do cargo. O comunicado foi feito pelo governador de Santa Catarina Raimundo Colombo, em encontro com jornalistas no fim da tarde desta quarta-feira (14).

Leia mais:
Bandidos prometem novos ataques em Santa Catarina
Polícia prende 27 suspeitos de ataques em Santa Catarina

O governador não confirmou se o afastamento tem relação com os ataques ou ao vídeo gravado dentro do presídio. Segundo Alves, o motivo é pessoal. Ele pediu um tempo para tratar de sua vida, já que sua esposa foi assassinada há pouco mais de um mês. Deise Alves era agente penitenciária e existem suspeitas de que seu assassinato tenha relação com o suposto modo "linha dura" com que Alves dirigia o Complexo Penitenciário. Há denúncias de agressões e torturas contra os presos e o Ministério Público está investigando o caso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.