Alckmin e Cardozo anunciam conjunto de ações para combate ao crime organizado

Seis ações conjuntas entre governo federal e estadual têm objetivo de "asfixiar financeiramente" atuação de criminosos em São Paulo

iG São Paulo | - Atualizada às

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmaram em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (6), no Palácio dos Bandeirantes, que os governos federal e estadual fecharam um acordo com um conjunto de seis ações para o combate ao crime organizado no Estado.

Saiba mais:  PM já prendeu 36 na operação realizada na Favela de Paraisópolis

Futura Press
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, se encontram para discutir combate ao crime organizado em São Paulo

Segundo Cardozo, as ações tem objetivo de "asfixiar financeiramente" os grupos criminosos que provocam uma onda de assassinatos no Estado. Entre os principais pontos do acordo está a criação de uma agência conjunta de inteligência para troca de informações entre os governos. "As organizações criminosas não tem fronteiras. É fundamental participarmos juntos", ressaltou o governador. Já o ministro destacou a importância do trabalho conjunto no setor de inteligência: "Não se combate o crime organizado sem inteligência."

Também está prevista a utilização de penintenciárias federais para transferência de presos que estariam envolvidos nas mortes de policiais militares em São Paulo. Outras medidas incluem ações de contenção por ações empreendidas por vias rodoviária, marítima e aérea, a criação um centro de comando e controle integrado, o enfrentamento ao crack e a maior atuação da polícia científica e pericial.

Cardozo também negou que esteja prevista a atuação de tropas federais no estado, mas ressaltou que a "a parceria é ilimitada" e tudo o que "puder ser positivo e eficaz" pode ser aplicado. Juntos, os governos estadual e federal são muito mais fortes no combate ao crime organizado", emendou.

O ministro explicou que a coordenação da agência será conjunta, com um representante do governo estadual e outro do federal. "Já definimos a coordenação dessa agência, será conjunta, da parte federal será o doutor Troncon (Roberto Ciciliati Troncon), que é o superintendente da Polícia Federal em São Paulo. Da parte de São Paulo, será o secretário adjunto de Segurança Pública, doutor Jair Manzano", afirmou.

Além de Cardozo e Alckmin, participaram do encontro desta terça-feira, no Palácio dos Bandeirantes, os secretários Sidney Beraldo (Casa Civil), Antonio Ferreira Pinto (Segurança Pública) e Lourival Gomes (Administração Penitenciária), além de membros da cúpula das polícias Federal, Militar e Civil e representantes do Ministério Público e da Administração Penitenciária. 

Leia também: Noite violenta em São Paulo deixa ao menos 6 mortos e 5 feridos

O governador anunciou que na próxima segunda-feira (12) será realizada a primeira reunião entre órgãos do governo federal e estadual para o planejamento das ações.

(Com informações da Agência Estado) 

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG