Ministro interino de Minas e Energia admite "diminuição de confiabilidade"

Para Márcio Zimmermann, o sistema elétrico brasileiro é um dos maiores do mundo, mas quedas frequentes "não são normais". ONS investiga apagão no Norte e Nordeste

Agência Brasil | - Atualizada às

Agência Brasil

O ministro interino de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, afirmou hoje (26) que uma equipe de técnicos foi enviada para as subestações de Colinas (TO) e Imperatriz (MA), pois suspeita-se que a origem de falta de energia no Nordeste e em parte do Norte, na madrugada, foi provocada por falhas nos dois locais. Ele avaliou que as ocorrências em série de desabastecimento de energia “não são normais”.

Raul Golinelli/Futura Press
Foto durante apagão que começou por volta da 0h desta sexta-feira, em Salvador, na Bahia

“São eventos que ocorreram em sequência”, disse o ministro. “Não são normais. A coincidência, então, não é normal”, acrescentou Zimmermann, que comanda hoje a reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, em Brasília. O ministro interino destacou que o sistema elétrico brasileiro é um dos maiores do mundo, mas tem registrado “diminuição de confiabilidade”.

Leia também: 

Nordeste e parte do Norte são atingidos por apagão na madrugada

Curto-circuito em subestação no Tocantins pode ser causa de apagão

De acordo com Zimmermann, houve falhas no banco de capacitores das duas subestações. Segundo ele, desde a madrugada técnicos do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico e do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) acompanham o assunto.

A linha de transmissão que apresentou problemas é operada pela empresa Taesa. Os nove Estados do Nordeste e parte do Norte ficaram sem energia elétrica na madrugada. Pelos dados preliminares do ONS, os relatos iniciais indicam que a falta de energia começou pouco depois da meia-noite e se estendeu por cerca de duas horas. Um incêndio em um equipamento entre as subestações de Colinas (TO) e Imperatriz (MA) ou um curto-circuito em um transformador em Colinas são as possíveis causas do desabastecimento de energia. Em seguida, a energia elétrica retornou na maioria das áreas.

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) investiga a extensão da falta de energia para o Distrito Federal e o Tocantins, pois há relatos de que a maior parte da capital do Estado, Palmas, e cidades nos arredores ficaram sem luz durante a madrugada.

Várias distribuidoras levaram mais tempo para restaurar a energia nas linhas secundárias. Há reuniões em Brasília e no Rio para discutir o assunto.

    Leia tudo sobre: apagãoapagão no nordesteenergia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG