Pena será de três anos e um mês e em regime aberto. Joseph Lepore e Jean Paul Paladino pilotavam jato que colidiu com avião da Gol em 2006, matando 154 pessoas

Agência Estado

Por dois votos a um, o Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF1) reduziu nesta segunda-feira (15) para três anos e um mês a pena de quatro anos e quatro meses de prisão aplicada pela Justiça Federal de Mato Grosso contra os pilotos americanos Joseph Lepore e Jean Paul Paladino. Eles pilotavam um jato Legacy que colidiu com um avião da Gol em 2006, matando 154 pessoas.

A pena será cumprida em regime aberto, ou seja, os condenados podem trabalhar, mas devem se apresentar periodicamente à Justiça e cumprir uma série de outras exigências. O Tribunal, no entanto, não permitiu a transformação da pena em prestação de serviços alternativos.

Leia também:
Lembranças do acidente da Gol são diárias, diz viúva
Familiares de vítimas do acidente da Gol lançam campanha
Irmã de vítima do acidente da Gol receberá indenização
Veja o especial do iG sobre acidentes aéreos

A terceira turma do TRF1 julgou dois recursos movidos pelo Ministério Público e Federal e pela Associação das Vítimas do Acidente do Avião Gol. Nesses processos, eles pediam aumento da pena dada aos pilotos americanos pela Justiça Federal de Mato Grosso em maio de 2011. A pena aplicada foi de quatro anos e quatro meses de prisão em regime semiaberto, depois convertida em pena alternativa. Os reclamantes também pediam a revogação da substituição da pena por serviços comunitários, que foi autorizada pela Justiça.

O acidente
O acidente ocorreu em 2006, quando o avião da Gol que saiu de Manaus com destino a Brasília e ao Rio de Janeiro se chocou com o jato Legacy sobre uma área densa da floresta amazônica. Todos os passageiros e tripulantes do avião da Gol morreram. Os pilotos do Legacy conseguiram fazer um pouso de emergência na Base Aérea da Serra do Cachimbo, no Pará.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.