Defesa inicia nova operação para combater crimes na fronteira do País

Militares participam da Operação Ágata 6 e atuarão nos Estados de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia e Acre

Agência Brasil |

Agência Brasil

O Ministério da Defesa iniciou nesta terça-feira (09) a Operação Ágata 6, com um efetivo de 7,5 mil militares para patrulhar mais de 4 mil quilômetros de fronteira entre o Brasil, a Bolívia e o Peru. A operação para combater crimes na região de fronteira terá duração de duas semanas.

Ágata 5:  Militares apreendem 11,7 toneladas de explosivos na operação
Ágata 4: Caças da FAB atacam e destroem pista clandestina na Amazônia 

Ministério da Defesa
Comboio militar fazendo parte da operação Ágata 5

Os militares atuarão nos Estados de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia e Acre. Serão usados aviões de caça, helicópteros de combate, navio-patrulha e veículos blindados. Antes do início da operação, o Ministério da Defesa informou os governos da Bolívia e do Peru sobre a ação.

Além de 7,5 mil homens na linha de frente da operação, a operação envolve10 mil em atividades de logística como transporte, saúde, alimentação e atividades cívico-sociais em apoio a comunidades carentes.

A ação faz parte do Plano Estratégico de Fronteiras, criado em 2011, que prevê a realização intercalada de duas operações: Ágata, sob comando do Ministério da Defesa, e Sentinela, orientada pelo Ministério da Justiça. Entre os crimes identificados pela operação em regiões fronteiriças estão o narcotráfico, o contrabando de armas e de madeira e o roubo de animais.

Na operação anterior, a Ágata 5 , foram feitas 268 inspeções em embarcações e vistorias em 41,3 mil veículos leves. Cerca de 880 quilos de maconha e cocaína foram apreendidos, além de 11,7 mil quilos de explosivos.

De acordo com o Ministério da Defesa, no ano que vem, deverão ser feitas três ações.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG