Golpista viaja pelo mundo com dinheiro de empresas e é preso no Distrito Federal

Acusado de ter lesado pelo menos 400 empresas e gasto cerca de R$ 20 milhões em cartões coorporativos, Douglas Augusto de Lima Santos foi preso em Brasília

iG Brasília | - Atualizada às

Arquivo pessoal
Douglas Augusto de Lima Santos em viagem à Disney

Douglas Augusto de Lima Santos foi preso na noite de quarta-feira pela Polícia Civil do Distrito Federal (DF) acusado de ter desviado pelo menos R$ 20 milhões de cartões coorporativos de aproximadamente 400 empresas de todo o mundo. O dinheiro foi usado quase em sua totalidade em viagens internacionais. Santos foi preso em flagrante por policiais do 5º Distrito Policial (DP) de Brasília, em um hotel de luxo. Ele estava na capital federal tentando renovar seu passaporte e já tinha passagem comprada para Nova York.

Leia também:  Polícia prende dupla suspeita de aplicar golpes de R$ 10 milhões em bancos de SP

Com esse golpe, o goiano Douglas Santos conseguiu viajar para Washington, onde fez uma visita à Casa Branca; para Disney; se hospedou em suítes presidenciais na Ásia, Estados Unidos e Europa e até alugou um jato para uma viagem entre Londres e Nova York. A viagem custou aproximadamente US$ 40 mil. Tudo custeado pelas empresas que tiveram seus cartões coorporativos clonados pelo goiano. Além do uso ilegal de cartões coorporativos, Douglas também se hospedou com cheques clonados e sem fundo. 

Na quinta-feira, ele foi transferido para o presídio da Papuda, onde está preso também Carlinhos Cachoeira, acusado de comandar uma rede de jogos ilegais em Goiás, DF e em outros estados brasileiros.

Segundo informações da Polícia Civil do Distrito Federal, Douglas utilizava uma empresa de fachada para articular os golpes. Ele conseguia invadir os computadores de grandes empresas e obtinha o número e códigos dos cartões coorporativos destas empresas.

A Polícia Civil do Distrito Federal não concedeu mais informações sobre o caso nesta sexta-feira alegando que poderiam interferir nas investigações. Agora, a polícia tenta contabilizar o número exato de empresas que foram fraudadas por Douglas. Outras pessoas também estão sendo investigadas suspeitas de coautoria nas fraudes. Pessoas que aparecem em fotos tiradas por Douglas também devem ser chamadas para depor. Até agora, a polícia também não divulgou o nome companhias lesadas por Douglas Santos.

    Leia tudo sobre: golpistacartão clonadobrasília

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG