Carga foi apreendida em agosto em um porto de Assunção. Segundo informações recebidas pela Secretaria Nacional Anti-Drogas, material seria de Nestor Alvarenga, suposto fornecedor de Fernandinho no país vizinho

Cocaína apreendida em agosto em um porto privado na capital paraguaia
Divulgação
Cocaína apreendida em agosto em um porto privado na capital paraguaia

A Secretaria Nacional Anti-Drogas e a Polícia Nacional do Paraguai estão investigando se a quadrilha do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, seria a responsável pelo envio de 329 kg de cocaína para a Itália.

Leia também:  Fernandinho Beira-Mar quer participar de campanha contra o crack, diz ONG

A droga foi apreendida no último dia 21 de agosto em um porto privado no bairro de Zeballos Cué, em Assunção, e estava escondida em meio a um carregamento de madeiras. O material veio do município de Ciudad el Este.

Segundo informações recebidas pelo órgão paraguaio, o principal suspeito de ser o dono da droga é Nestor Baez Alvarenga, o Bigode, que atuaria sobre as ordens de Fernandinho no país vizinho.

Leia também: Traficante ligado a Beira-Mar é preso no Paraguai

Baseado em Ciudad del Este, Nestor Baez é suspeito de ser o principal fornecedor de cocaína para o traficante brasileiro, que está preso na penitenciária federal de Porto Velho, em Rondônia. Investigações recentes da Polícia Civil do Rio revelaram que, da cadeia, Beira-Mar transmitia ordens para comparsas por meio de bilhetes.

Bigode chegou a ser capturado no Paraguai no ano passado mas acabou solto. A polícia paraguaia alegou de que não havia pedido de extradição feito pelo Brasil, onde ele responde a processos na Justiça Federal do Paraná. A PF informou, no entanto, que a solicitação foi feita ao Ministério Público paraguaio.

Leia tambémEmpresas de Beira-Mar movimentaram R$ 62 milhões em um ano

A cocaína achada em um porto de Assunção estava distribuída em 764 pacotes, totalizando 329 quilos e 208 gramas. Estaria avaliada, segundo os agentes, em cerca de R$ 35 milhões.

Segundo as investigações da polícia paraguaia, para o envio da droga junto a carga de madeira, chegou a ser aberta uma firma de fachada de exportação para dar aparência legal ao negócio.

Ligação antiga

Cocaína apreendida em Assunção estava escondida em carga de madeira
Divulgação
Cocaína apreendida em Assunção estava escondida em carga de madeira

A ligação de Bigode com Fernandinho Beira-Mar é antiga. O paraguaio, por exemplo, foi citado na investigação da Operação Fênix da PF (Polícia Federal), realizada entre 2006 e 2007, que prendeu vários integrantes do bando do traficante brasileiro.

Leia tambémMedo de jurados de Caxias leva Justiça a mudar processo de Beira-Mar para o Rio

O delegado Wagner Mesquita, que comandou a Fénix, afirmou ao iG que, durante a investigação, apreendeu cerca de 4 toneladas de drogas, sendo uma tonelada só de cocaína supostamente fornecida por Nestor. A droga chegava no Brasil por caminhonetes ou misturada a cargas de grãos.

Leia também:  Empresária do PR é suspeita de lavar dinheiro da quadrilha de Beira-Mar

Uma escuta feita na época mostrou Beira-Mar reclamando da apreensão de 100 kg de cocaína que foram fornecidos por Nestor.

Há duas semanas, um outro suposto aliado de Beira-Mar fora preso no Paraguai: Jorge Fretes ou Mário Pucheta. Ele foi flagrado em uma fazenda de luxo na localidade de Alto Paraná.

Segundo as investigações, ele estava encarregado de remeter para o Brasil grandes cargas de cocaína, maconha e armas.

Leia também : Bens de Fernandinho Beira-Mar são sequestrados

A fazenda onde Pucheta foi preso impressionou os agentes da Senad paraguaia: tinha lago artificial com ponte, piscinas, campos de futebol, oratório e animais selvagens.

Dias antes da apreensão de 329 kg de cocaína, os agentes da Senad paraguaia já haviam recolhido 359 kg da mesma droga em Ciudad del Este em 2 de agosto.

A cocaína era transportada em um caminhão de grande porte. A droga veio da Bolívia e a suspeita da Senad é que seria levada para o Brasil.

A polícia paraguaia investiga se a cocaína seria de um traficante conhecido como Toma i, que está preso.

Polícia recebeu informações de que cocaína seria de Nestor Baez, principal fornecedor de Beira-Mar
Divulgação
Polícia recebeu informações de que cocaína seria de Nestor Baez, principal fornecedor de Beira-Mar

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.