IBGE: gastos com remédios consomem 48,6% da despesa com saúde do brasileiro

Segundo pesquisa divulgada nesta sexta-feira, despesa média mensal das famílias brasileiras com saúde é de R$ 153,81. Quase a metade é consumida com medicamentos

iG São Paulo |

Os gastos com a compra de medicamentos correspondem a 48,6% da despesa média mensal com saúde das famílias brasileiras, divulgou nesta sexta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) durante o lançamento do estudo Perfil das Despesas no Brasil - Indicadores Selecionados, da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF).

Leia também:

Gasto com habitação é o que mais pesa para todas as famílias brasileiras
Famílias chefiadas por empregadores e funcionários públicos gastam mais
Espíritas gastam mais que o dobro que evangélicos, que lideram em doações
Viagens esporádicas consomem R$ 50,16 por mês das famílias brasileiras

De acordo com o estudo, os gastos com o grupo assistência à saúde tiveram peso de 7,2% na despesa média mensal das famílias, com gasto de R$ 153,81 por mês. Entre as participações relativas por itens que compõem o grupo, os remédios tiveram o maior peso (48,6%), seguido por plano ou seguro de saúde (29,8%). Já o item hospitalização apresentou o menor percentual (0,7%).

Na análise das famílias por classes de rendimento mensal, os remédios tiveram maior peso para as famílias com menores rendimentos (74,2%) contra 33,6% do grupo de maiores rendimentos. Por outro lado, as despesas com plano e seguro saúde representaram 42,3% do total de despesas com saúde no grupo das famílias com maiores rendas, enquanto, para as de menores rendas, o item apenas representou 7%.

Nas regiões Norte, Nordeste e Sul o item remédios também liderou a participação, com destaque para o Norte (57,5%). Essas regiões apresentaram os menores pesos de gastos com Plano ou seguro de saúde, sendo o menor, de 18,7%, também na região Norte.

Entre 2002/2003 e 2008/2009, remédios, plano ou seguro de saúde e tratamentos médico e ambulatorial foram os itens que mostraram aumentos de participações no total das despesas com saúde. Segundo o IBGE, houve queda de participação em consulta e tratamento dentário, consulta médica, serviço de cirurgia e hospitalização.

Leia também  divulgações do Censo 2010 :

- País de extremos, Brasil tem 190.755.799 habitantes
- Censo revela os extremos do Brasil
- No País em que homens são minoria, Mato Grosso é exceção
- Maranhão é o Estado mais rural do Brasil
- IBGE: Brasil possui 190,7 milhões de pessoas
- População começará a recuar a partir de 2040
- Mais 80% das mortes entre 20 e 24 anos são de homens
- 2,7 milhões de brasileiros não têm energia elétrica
- Famílias estão menores e mais abertas
- Zona rural e idosos elevam taxa de analfabetos
- 10% mais ricos têm 44,5% da renda dos brasileiros
- Homens são 80% das mortes entre 20 e 24 anos
- Pretos e pardos recebem quase a metade que brancos 
- Pela 1ª vez, casas têm mais TV e geladeira que rádio
- Metade não estudou ou não concluiu fundamental
- Comércio e agricultura têm 30% dos trabalhadores
- Menos de 1% ganha mais de 20 salários mínimos
- Mortalidade infantil cai quase 50% em dez anos
- Taxa de fecundidade cai a 1,9 filho por mulher
- Separações crescem cerca de 20% em dez anos
- SP e GO são os Estados que mais recebem migrantes
- Mais de 45 milhões têm alguma deficiência
-
Católicos perdem espaço, mas seguem maior grupo religioso do País
-
Brasileiro vive 25 anos a mais do que em 1960
- Com mais 16 milhões de fiéis em 10 anos, evangélicos são 22,2% dos brasileiros
- 8% dos brasileiros se declaram sem religião
Trabalhadores com deficiência são 23,6% do total de pessoas ocupadas


    Leia tudo sobre: ibgesaúdePerfil das Despesas no Brasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG