Para o governo, 90% dos servidores aceitaram encerrar greve

“Praticamente está tudo resolvido, falta apenas formalização dos acordos”, disse o secretário de Relações de Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça

iG São Paulo | - Atualizada às

O governo ainda tem reuniões com as categorias de servidores públicos federais em greve até a meia-noite desta terça-feira (28), data limite fixada pela própria União para assinatura de acordos de reajuste salariais. Nas contas do governo, cerca de 90% dos grevistas sinalizaram aceitar o reajuste. “Praticamente está tudo resolvido, falta apenas formalização dos acordos”, disse o secretário de Relações de Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça.

Fim da greve:  Servidores federais de 18 categorias retornam ao trabalho dia 3 de setembro

AE
O secretário de Relações de Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça

As categorias que rejeitarem o reajuste de 15,8% oferecido pelo governo, divididos em três anos, a partir de 2013, ficarão sem aumento no ano que vem. “Com quem decidir não assinar, voltaremos a discutir no ano que vem com impacto para 2014”, disse Mendonça.

Hoje, até o momento, apenas os representantes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) assinaram o acordo que ratifica o fim da greve. Com isso, subiu para quatro o número de entidades que aceitaram a proposta do governo. São elas, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Federação de Sindicatos de Professores de Instituições de Ensino Superior (Proifes), que representa a minoria dos docentes federais, e a Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras (Fasubra), representante dos técnicos-administrativos universitários.

Mais:
Servidores federais ligados à Condsef decidem encerrar greve
Após rejeitar reajuste, PF protesta para reabrir negociações

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Publico Federal (Condsef), que representa cerca de 80% dos servidores públicos federais, também decidiu aceitar a proposta de reajuste oferecida pelo governo . A assinatura do termo ocorrerá amanhã. A decisão engloba o contracheque de cerca de 520 mil servidores ativos, segundo o Planejamento. O impacto da proposta oferecida pelo governo vai gastar R$ 3,9 bilhões dos cofres públicos nos próximos três anos.

Entre as categorias previstas para se reunirem hoje estão os representantes do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi), do Ministério do Meio Ambiente e do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Algumas entidades já rejeitaram a proposta de reajuste. Entre os servidores federais que mantêm a greve estão os agentes da Polícia Federal, os servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), do Ministério do Desenvolvimento Agrário, e advogados e defensores públicos federais.

Com informações da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: grevegreve dos servidoresservidores em grevedondsef

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG