Negociações com grevistas serão encerradas neste domingo, diz governo

Governo tem oferecido reajuste de 15,8% a diversas categorias em greve. Quem concordar com o percentual, terá o aumento garantido para o próximo ano

iG São Paulo | - Atualizada às

Sem ceder à pressão dos grevistas, o governo vai encerrar as negociações no próximo domingo (26). Segundo informações do Ministério do Planejamento, as rodadas de reuniões entre representantes do governo e sindicalistas terminam neste fim de semana. Até o momento, apenas duas entidades aceitaram a proposta apresentada pelo governo.

Leia também: 
Sindicatos entram com ação no Supremo contra corte de ponto de grevistas
Governo confirma corte de ponto de mais de 11 mil servidores em greve
Grevistas protestam e entram em choque com polícia no Palácio do Planalto

Agência Brasil
O secretário Sérgio Mendonça com representantes de sindicatos em greve, em reunião nesta semana

Somente a Federação de Sindicatos de Professores de Instituições de Ensino Superior (Proifes), que representa a minoria dos docentes federais, e a Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras (Fasubra), representante dos técnicos administrativos universitários, aceitaram a proposta.

A expectativa do órgão é que novos acordos sejam assinados até a próxima terça-feira (28), prazo final estabelecido pelo Planejamento. O governo tem oferecido reajuste de 15,8% a diversas categorias em greve . Quem concordar com o percentual, terá o aumento garantido para o próximo ano. As categorias que não aceitarem, vão ficar de fora do Orçamento de 2013.

O prazo limite para envio do Orçamento ao Congresso Nacional, com a previsão de gastos com a folha de pagamento dos servidores em 2013, é 31 de agosto. Por enquanto, o único impacto previsto é com o acordo feito com os servidores da Educação, que vai onerar em R$ 7,1 bilhões os gastos com pagamentos de salários até 2015.

O Ministério do Planejamento estima que a greve envolve cerca de 80 mil servidores públicos federais. Em contrapartida, os sindicatos calculam que cerca de 350 mil funcionários aderiram ao movimento. Servidores de vários órgãos seguem em greve, entre eles do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), dp Arquivo Nacional, da Receita Federal, dos ministérios da Saúde, do Planejamento, do Meio Ambiente e da Justiça, da Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal.

    Leia tudo sobre: grevegreve de servidoresservidores federais

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG