Polícia Federal realizou operação-padrão na quinta-feira, o que causou filas e atrasos de voos

Agência Estado

O Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, amanheceu nesta sexta-feira bem diferente do visto na tarde da quinta-feira, quando filas, atrasos nos voos e cancelamentos geraram transtornos aos passageiros devido à operação-padrão da Polícia Federal , que está em greve desde o dia 7 de agosto.

Leia também:  STJ proíbe operações-padrão da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal

De acordo com informações da Infraero, além de não serem vistas grandes filas, desde a zero hora até as 9 horas foram registradas 84 decolagens e apenas três atrasos. Durante a madrugada, apenas um voo foi cancelado.

Com a operação-padrão da PF, as vistorias de bagagens e passageiros contou com 450 policiais, quando o normal é a operação ser realizada por aeroporto tem 120 policiais. Essa foi a segunda operação-padrão da PF em São Paulo desde que a greve teve início. A primeira aconteceu no dia 9 de agosto.

Enquanto operações-padrão travavam aeroportos, rodovias e portos do País ao longo da última quinta, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acatou o pedido de liminar do governo e proibiu a operação-padrão dos servidores da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal. De acordo com a decisão, caso o ato volte a acontecer, os sindicatos serão submetidos a multa de R$200 mil por dia de descumprimento da ordem.

O Sindicato dos Policiais Federais de São Paulo (Sinpef-SP), no entanto, afirmou que até às 9 horas desta sexta-feira não havia recebido nenhuma notificação oficial sobre a proibição e que, por isso, mantém na agenda novas operações-padrão para a próxima semana.

Na capital paulista, os agentes federais pretendem, na segunda-feira, realizar novos atos no Aeroporto Internacional de Guarulhos e no Porto de Santos. Há previsão de operação no Aeroporto de Congonhas para a terça-feira, dia 21.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.