Sem proposta, governo senta à mesa com grevistas

Ministério do Planejamento apenas ouviu proposta, que já conhecia, de sindicato e remarcou reunião

Nivaldo Souza - iG Brasília | - Atualizada às

Agência Brasil
Sérgio Mendonça recebe representantes de servidores federais em greve

O secretário-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef),  Josemilton Costa, afirmou após a reunião com o secretário de relações de trabalho do Planejamento, Sérgio Mendonça, que o governo recusou a proposta de equiparar todos os salários de servidores com nível superior. “O governo já disse que não haverá equalização”, disse após encontro.

Leia também:

Governo calcula reajuste em R$ 60 bilhões

Governo negocia com quatro sindicatos

Em semana decisiva, governo muda estratégia para encerrar greve

A Condsef pediu um reajuste linear de 78% para 20 mil servidores da ativa com curso superior. Outros 65 mil aposentados seriam beneficiados. “Esse aumento seria apenas para corrigir as distorções em relação aos cinco cargos. Uma distorção que o governo criou.” As carreiras economia, engenharia, arquitetura, estatística e biologia estão em um patamar mais elevado no serviço público por conta da Lei 12.277/2002, de 2003, que as considera mais estratégicas.

Até 2002, essas carreiras tinham salário inicial de R$ 1.183,00. Hoje, é de R$ 5.460,00 - reajuste de 361,5% (em relação à inflação o aumento real foi de 163,3%). Para servidores em final de carreira, o salário de R$ 1.959,00 saltou para R$ 10.209,00 - aumento de 421% (197,2% de reajuste real).

O encontro, de cerca de 40 minutos, terminou sem contraproposta do governo, que marcou uma nova reunião para a próxima sexta-feira (17). Até lá, a Condsef promete fazer vigília acampando em frente ao Ministério do Planejamento. Isso porque além da equiparação de cargos o sindicato pede um reajuste médio de 22,8% para todas as categorias do serviço público federal, incluindo técnicos e profissionais sem diploma, como correção da inflação de 2010 a 2012.

AE
Tenda armada no gramado da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, para servir de base aos servidores públicos federais em greve

A confederação promete fazer uma marcha com 15 mil servidores pela Esplanada dos Ministérios amanhã. A caminhada deverá ocorrer no momento do anúncio do pacote de estímulo econômico que a presidenta Dilma Rousseff lança para a retomada do crescimento no segundo semestre.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG