Caminhoneiros protestam com bloqueios na Fernão Dias

Classe protesta contra Estatuto do Motoristas aprovado pelo Governo Federal; Polícia Rodoviária pede liberação de ao menos uma faixa das rodovias

Agência Estado | - Atualizada às

Agência Estado

Em protesto contra as medidas de regulamentação da profissão da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), caminhoneiros bloqueiam, nesta sexta-feira (27), trechos da rodovia Fernão Dias em Minas Gerais. Segundo informações da concessionária, alguns pontos da rodovia estão parcialmente interditados pelos manifestantes, sem previsão de liberação. A Autopista Fernão Dias afirmou ter obtido instrumento legal para liberar a rodovia, mas aguarda ação dos órgão competentes.

Rio Grande do Sul: Caminhoneiros voltam a protestar em estradas gaúchas

Em nota, a Polícia Rodoviária Federal de Minas Gerais pediu a liberação de ao menos uma faixa de circulação das vias para garantir a passagem de veículos de emergência e "motoristas que não queiram participar do movimento". Segundo a autoridade, em alguns locais, o protesto ocorre em "total desrespeito as normais legais". A PRF informa que as negociações com o Movimento União Brasil Caminhoneiro, que organiza a paralização dos caminhoneiros, estão em curso, mas "infelizmente os avanços com os manifestantes têm sido lentos".

Leia mais: Caminhoneiros marcam greve e ameaçam parar rodovias

Futura Press
Trecho da rodovia Fernão Dias próximo à Governador Valadares tem fila de caminhões devido aos protestos desta sexta-feira

De acordo com a Autopista, às 16h40 horas, a rodovia Fernão Dias estava interditada no km 649 em ambos os sentidos (São Paulo e Belo Horizonte), na região de Santo Antônio do Amparo, devido à manifestação. Na pista sentido Belo Horizonte)o tráfego está parado do km 646,5 ao km 649. Na pista sentido São Paulo, o tráfego está parado no local.

No sentido São Paulo há lentidão do km 537 ao km 545,5, na região de Itatiaiçu (MG), reflexo do bloqueio na pista, devido a mesma manifestação. Ainda nesta pista, a faixa 2 e o acostamento permanecem bloqueados, devido à manifestação, nos km 513, em Igarapé, onde o tráfego segue pela faixa 1, com retenção do km 503 ao km 513; e no km 589, em Carmópolis de Minas, onde o tráfego segue pela faixa 1, com retenção do km 584,5 ao km 589.

No sentido Belo Horizonte, a faixa 2 e o acostamento também estão bloqueados devido à manifestação, no km 589, em Carmópolis de Minas, com tráfego pela faixa 1, com retenção do km 596 ao km 589; e no km 636, em Santo Antônio do Amparo, com tráfego pela faixa 1, com retenção do km 634,4 ao 636.

Também no sentido Belo Horizonte, o tráfego é lento do km 621,5 ao km 617, na região de Oliveira (MG), devido ao excesso de veículos no acesso à cidade.

Bloqueio no Espírito Santo

No Espírito Santo também há registro de bloqueios realizados por caminhoneiros. O tráfego na BR-101 está interrompido totalmente no quilômetro 374, em Iconha.

A Justiça Federal no Espírito Santo havia determinado na quinta-feira que os caminhoneiros ligados ao Movimento União Brasil Caminhoneiro desobstruíssem as estradas federais do Estado. Na Bahia, há manifestação de caminhoneiros na BR-020, no quilômetro 206, em Luís Eduardo Magalhães.

Rio Grande do Sul

Caminhoneiros voltaram a protestar na madrugada da sexta-feira, colocando fogo em pneus e quebrando para-brisas de veículos de motoristas que seguem trabalhando nas estradas no Rio Grande do Sul. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF) do Estado, os ataques na madrugada são uma estratégia para fugir da fiscalização e, até agora, nenhum caminhoneiro responsável pelas ofensivas foi identificado. Ainda segundo a PRF, os protestos ocorreram nas rodovias BR-392 e BR-158, em Santa Maria (região central gaúcha).

    Leia tudo sobre: GreveEstradasCaminhõesBrasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG