Segundo o Ministério da Saúde, a maioria das mortes ocorreu em Estados da região Sul

Agência Estado

Pelo menos 159 pessoas morreram no País neste ano vítimas da gripe H1N1, conhecida como gripe suína. Dados oficiais divulgados nesta quarta-feira pelo Ministério da Saúde mostram que a maioria dos óbitos, 104, ocorreu nos Estados da região Sul. Santa Catarina registrou 55 mortes, o que garante ao Estado o título de campeão em óbitos decorrentes da gripe. O Ministério reforçou a recomendação para que as pessoas tomem a segunda dose da vacina contra a gripe, principalmente crianças de até dois anos. Caso contrário, não poderão se considerar imunizadas.

Leia também: Tamiflu sai da lista de remédios controlados

O total de pacientes hospitalizados no País e confirmados com gripe suína soma até agora 1.449 pessoas. Mais uma vez a região Sul também contabilizou a maioria dos casos, com 1.117 internações. Em São Paulo, foram registradas 170 internações e 24 mortes por causa da gripe.

Ao divulgar os números, o Ministério da Saúde ressaltou que foram disponibilizados a todos os Estados e municípios o medicamento Oseltamivir, vendido como Tamiflu. Segundo o Ministério, todos os Estados e municípios têm estoque do medicamento que é usado no tratamento da doença e reduz a possibilidade de evolução para um caso mais grave ou morte. O medicamento pode também ser comprado nas farmácias sem a necessidade da retenção da receita médica.

Conforme o balanço do Ministério, há Estados que não registraram internações de pacientes com gripe suína comprovada. São eles: Rondônia, Roraima, Maranhão, Piauí, Alagoas, Sergipe, Espírito Santo e Distrito Federal. De acordo com o Ministério da Saúde, na campanha deste ano foram vacinadas 84,7% das pessoas do público alvo, superando a meta nacional, que era de 80%. Entre os vacinados estão crianças de 6 meses a 2 anos, trabalhadores da saúde, gestantes, indígenas e idosos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.