Bósnio suspeito de tráfico de drogas também terá extradição julgada pelo STF

Argentina fez o pedido. Estrangeiro foi preso no Rio Grande do Sul em 2010

Mario Hugo Monken iG Rio de Janeiro |

Além de Goran Nesic, tramita também no STF (Supremo Tribunal Federal) um outro processo de extradição de um suposto traficante oriundo de uma das ex-repúblicas da antiga Iugoslávia e cuja atividade seria semelhante à do sérvio: o envio de drogas para a Europa por via marítima.

Leia também : Sérvia que extraditar "Big Brother", suspeito de chefiar quadrilha de tráfico no Brasil

A ação de número 1250 trata da extradição do bósnio Bozidar Ratkovic, conhecido como Dokha, que foi pedida pela Argentina, de onde ele também é acusado de enviar drogas para o continente europeu pelo mar. O suspeito está preso no Rio Grande do Sul desde o dia 19 de junho de 2010.

Segundo processo que tramita na Justiça Federal gaúcha, uma investigação feita pela Polícia Federal (PF) resultou na prisão de Bozidar, que usava outras identidades em nomes de Slobodan Negic e Goran Simic) e de outros cinco comparsas com um total de 62 kg de cocaína nas cidades de Porto Alegre e do Rio Grande.

As investigações feitas pela PF à época indicaram que o grupo ligado ao bósnio teria, supostamente, colocado duas remessas de drogas em dois navios cargueiros que sairiam do porto de Santos entre os dias 17 e 27 de maio de 2010.

De acordo ainda com as investigações, a quadrilha adquiria lanchas em nomes de laranjas e acondicionava as drogas com fitas adesivas de alta resistência à ruptura e à água, em mochilas impermeáveis. Atuava nas zonas portuárias dos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG