Dados do Censo 2010 revelam que de 2000 até 2010, parcela da população que se declarou evangélica passou de 15,4% para 22%. Maior parte da população brasileira segue católica

Templo evangélico da Igreja Universal do Reino de Deus no Rio de Janeiro
Divulgação
Templo evangélico da Igreja Universal do Reino de Deus no Rio de Janeiro

Os evangélicos foram o segmento religioso que mais cresceu no Brasil no período entre os censos de 2000 e 2010. Segundo os números divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira, em 2000, os evangélicos representavam 15,4% da população. Em 2010, com um aumento de cerca de 16 milhões de pessoas (de 26,2 milhões para 42,3 milhões), chegaram a 22,2%. Em 1991, este percentual era de 9,0% e em 1980, 6,6%.

De acordo com o Censo, a proporção de católicos seguiu a tendência de redução observada nas duas décadas anteriores, embora permaneça majoritária. Em paralelo, consolidou-se o crescimento da população evangélica. A pesquisa indica também o aumento do total de espíritas, dos que se declararam sem religião, ainda que em ritmo inferior ao da década anterior, e do conjunto pertencente às outras religiões.

No questionário feito pelo Censo 2010, os evangélicos foram divididos entre evangélicos de missão - luteranos, presbiterianos, metodistas, batistas, congregacionais, adventistas etc. -, evangélicos pentecostais - Assembleia de Deus, Igreja do Evangelho Quadrangular, Igreja Universal do Reino de Deus, Maranata, Nova Vida, entre outras - e igrejas evangélicas não determinadas.

Dentro do crescimento de 15,4% para 22,2% do números de evangélicos, os pentecostais foram os que mais cresceram: passaram de 10,4% em 2000 para 13,3% em 2010. Também foi observado aumento expressivo do segmento da população que apenas respondeu ser evangélica, não se declarando como de missão ou de origem pentecostal: de 1% para 4,8%. Já a parcela da população que se declarou evangélica de missão teve ligeira redução proporcional, caracterizando estabilidade em sua participação relativa no total da população: de 4,1% para 4,0%.

Ainda segundo os dados do Censo 2010, os evangélicos tem perfil jovem. Os pentecostais eram mais jovens, com uma idade média de 27 anos e os de missão, 29 anos. A maioria dos evangélicos também se identificou como de cores parda (45,7%) e branca (44,6%).

A comparação da distribuição por rendimento mensal domiciliar per capita entre todas as religiões revelou que os evangélicos pentecostais são o grupo com a maior proporção de pessoas concentrados na faixa até 1 salário mínimo (63,7%), seguidos dos sem religião (59,2%).

Outras divulgações do Censo 2010:
- País de extremos, Brasil tem 190.755.799 habitantes
- Censo revela os extremos do Brasil
- No País em que homens são minoria, Mato Grosso é exceção
- Maranhão é o Estado mais rural do Brasil
- IBGE: Brasil possui 190,7 milhões de pessoas
- População começará a recuar a partir de 2040
- Mais 80% das mortes entre 20 e 24 anos são de homens
- 2,7 milhões de brasileiros não têm energia elétrica
- Famílias estão menores e mais abertas
- Zona rural e idosos elevam taxa de analfabetos
- 10% mais ricos têm 44,5% da renda dos brasileiros
- Homens são 80% das mortes entre 20 e 24 anos
- Pretos e pardos recebem quase a metade que brancos 
- Pela 1ª vez, casas têm mais TV e geladeira que rádio
- Metade não estudou ou não concluiu fundamental
- Comércio e agricultura têm 30% dos trabalhadores
- Menos de 1% ganha mais de 20 salários mínimos
- Mortalidade infantil cai quase 50% em dez anos
- Taxa de fecundidade cai a 1,9 filho por mulher
- Separações crescem cerca de 20% em dez anos
- SP e GO são os Estados que mais recebem migrantes
- Mais de 45 milhões têm alguma deficiência

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.