Justiça condena estudante por preconceito contra nordestinos no Twitter

Em 2010, Mayra Petruso escreveu que 'nordestino não é gente'; ela deverá pagar multa e serviços comunitários

iG São Paulo |

Reprodução
Mayara Petruso
A estudante de direito Mayara Petruso foi condenada por escrever mensagens preconceituosas contra nordestinos no Twitter no final das eleições de 2010.

De acordo com decisão da 9ª Vara Federal Criminal em São paulo, ela deverá pagar multa, que será destinada à ONG que combate crimes cibernéticos, e prestar serviço comunitário. O Ministério Público Federal denunciou a estudante por crime de discriminação ou preconceito de procedência nacional.

Um mês depois, jovem que ofendeu nordestinos vive escondida

Em novembro de 2010, quando as pesquisas de boca de urna anunciaram a vitória de Dilma Rousseff na eleição para a Presidência da República, Mayara postou a mensagem em sua página no Twitter: “Nordestisto (sic) não é gente. Faça um favor a Sp: mate um nordestino afogado!”.

Mayara confirmou em depoimento que era autora dos comentários. Em entrevista ao iG em novembro de 2010, o comerciante Antonio Petruso, pai da estudante , disse estar "surpreso, decepcionado e envergonhado” com a atitude da filha. Petruso se declarou eleitor de Dilma.

Reprodução
Mayara Petruso prega assassinato de nordestinos
Na íntegra do julgamento, a acusada tentou se defender alegando que postou o comentário apenas por motivação política.

"Eu tinha como candidato o José Serra, foi coisa do momento, como num jogo entre dois times, um jogador diz: 'Vou matar o Corinthians', é coisa de momento. Não sou preconceituosa, não faço discriminação."

Comentário contra nordestinos repercute em Pernambuco

Mayara alegou que após o caso trancou o curso na faculdade de direito e que atualmente trabalha em uma empresa de telemarketing.


    Leia tudo sobre: twitterpreconceito nordestinosestudante

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG