Polícia acredita que falha mecânica derrubou helicóptero em Goiás

Análise inicial do acidente indica que o helicóptero desceu manobrando desordenadamente e uma hélice teria se desprendido

AE |

selo

Zuhair Mohamad/O Popular/AE
Parte do helicóptero que caiu no interior de Goiás, na terça-feira
Uma falha mecânica teria provocado o maior acidente aéreo de Goiás . A falha está sendo apontada como causa da queda do helicóptero, pela policia civil, ao descartar as hipóteses de atentado ou falha humana. "Não acreditamos em falha humana", disse a delegada Adriana Accorsi, diretora geral da Policia Civil de Goiás. Abatida pela tragédia, ela concedeu uma rápida entrevista coletiva na quarta-feira.

A queda: Helicóptero cai e mata oito
Buscas:
Resgatado corpo de delegado
Repercussão: Secretário lamenta mortes

O helicóptero Koala AW119 Mk-II Enhanced, fabricado pela anglo-italiana AgustaWestland, caiu 15 minutos após decolar da fazenda N.S. Aparecida, em Doverlândia (GO). No local, a polícia fazia uma segunda reconstituição da chacina de Doverlândia, em que sete pessoas foram mortas . A aeronave caiu por volta das 16h de terça-feira, na fazenda Rancho Alegre, a 30 quilômetros de distância do município de Piranhas (GO) região sudoeste do Estado.  

Diomício Gomes/O Popular/AE
A delegada geral da Polícia Civil de Goiás, Adriana Accorsi, durante entrevista nesta quarta-feira
Segundo o coordenador do curso Ciências Aeronáuticas da PUC-GO, professor Raul Francé Monteiro, tudo indica que o helicóptero desceu manobrando desordenadamente, e uma hélice se desprendeu, pois um componente importante, que controla a máquina, teria se perdido. 

O delegado Osvalmir Carrasco Melati Júnior (38), paulista de Tupã, era o comandante do helicóptero. De acordo com um comunicado da Associação do Delegados de Polícia do Estado de Goiás (Adepol), Carrasco tinha mais de 1 mil horas de voos. Ele era casado e tinha três filhos. 

Além de Carrasco, estavam no helicóptero os delegados Jorge Moreira e Antônio Gonçalves, de Goiânia e Vinicius Batista da Silva, de Iporá; o piloto Bruno Carneiro; os peritos criminais Marcel de Paula Oliveira e Fabiano de Paula Silva; e o assassino confesso da chacia da Doverlândia, Aparecido Souza Alves.

AE
Equipe de resgate entra em mata no interior de uma fazenda de Piranhas, a 325 quilômetros de Goiânia (GO), na noite de terça-feira, na tentativa de localizar helicóptero

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG