Após 7 anos no Brasil, filha sequestrada é devolvida a mãe na Argentina

Pai paraguaio levou a filha de onde vivia, na Argentina, e mudou-se para o Brasil. Menina era mantida em cárcere privado no País

AE |

selo

Sequestrada pelo pai paraguaio aos 2 anos de idade, na periferia de Buenos Aires, na Argentina - onde nasceu -, a menina L.B. só foi localizada pela família agora, sete anos depois, em Dourados (MS). Ela estava abrigada no Lar Albenezer, em Dourados, desde janeiro, após ter sido resgatada pela Polícia Militar e por integrantes do Conselho Tutelar, visivelmente abatida.

Abandono afetivo: 'Ele nunca me quis', diz professora sobre pai que deve pagar indenização

O resgate aconteceu em dezembro, conforme explicou a coordenadora do Lar Albenezer, Cleire Santana. "A criança vivia em um cárcere privado montado pelo pai. Seu único contato com o mundo era por meio de uma televisão. Depois de devidamente recuperada, passou por exames médicos e veio para cá".

A menina não saía para tomar sol, tampouco falava com alguém ou frequentava a escola. Vivia com o pai em uma casa alugada. "Esse comportamento chamou a atenção do dono do imóvel, que chamou a polícia para verificar a situação. Soubemos que o pai vivia fugindo, morando em várias cidades do Brasil e do Paraguai. Ele acabou detido e levado para prestar depoimento", detalha Cleire. "Depois, prometeu providenciar os documentos da criança, pois portava apenas um registro de nascimento feito em uma cidade da fronteira com o Paraguai. Tinha o registro brasileiro, mas L. fala apenas espanhol", ressalta.

O pai da menina desapareceu logo após o depoimento dado à polícia. No dia 23 de dezembro do ano passado, teria ligado para a ex-mulher, a mãe de L.B., na Argentina, dizendo que o juizado de menores havia tomado a crianças de suas mãos. "Ele teria dito ainda que mandara a criança para uma instituição de caridade". Naquele dia, a mãe da menor foi até a Embaixada do Brasil na Argentina e pediu auxílio para encontrar a filha. Em Mato Grosso do Sul, a garota só não foi encaminhada para adoção porque não tinha documento de identidade.

Em janeiro, a Embaixada da Argentina entrou em contato com a Polícia Civil em Dourados, solicitando informações sobre a menina. A queixa foi repassada à Vara da Infância. "Fomos informados pela embaixada de que o pai, que está foragido, entrou em contato com a mãe da criança e informou que ela estava aqui na cidade", informou o juiz da Infância de Dourados, Zaloar Murat Martins.

Um exame de DNA foi feito e o resultado, que saiu em abril deste ano, confirmou que a garota era a criança sequestrada em 2005 na Argentina. O caso passou então a ser cuidado pelas autoridades diplomáticas argentinas, e na quarta-feira, o juiz substituto da Infância e Juventude de Dourados, Eduardo Machado Rocha, entregou a garota à Embaixada da Argentina. Ela ficou sob a responsabilidade da adida do país vizinho, Maria Seane Chiodio. Segundo a diplomata, L.B. foi entregue nesta sexta-feira à família, na Argentina, e recebida pela mãe, depois de 7 anos de desaparecimento.

    Leia tudo sobre: sequastromato grosso do sulfilhapai

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG