Entidades querem federalizar crimes contra jornalistas

Associações se reuniram com a ministra da Secretaria de Direitos Humanos para cobrar ação que acelera investigação do crime

AE |

selo

Entidades que representam jornalistas pediram ao governo a federalização dos crimes contra a categoria. Em uma reunião nesta quinta com a ministra da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, Maria do Rosário, as associações que reúnem empresas e profissionais da área cobraram a mudança de foro como uma forma de acelerar as investigações e desencorajar o tipo de atentado em que foi assassinato, na semana passada, o jornalista maranhense Décio Sá.

Perseguição a jornalistas no Brasil ainda é 'analógica'

"A impunidade tem estimulado a multiplicação dos casos de violência. Em raríssimos casos os responsáveis são identificados e punidos", afirmou o presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Maurício Azedo. Maria do Rosário explicou que existe hoje a possibilidade de federalizar crimes de direitos humanos como extermínio - caso em que se enquadrariam várias mortes de jornalistas - mas é preciso fazer o pedido ao Superior Tribunal de Justiça e os casos são analisados um a um.

Jornalistas dizem ter medo e revelam novas ameaças no Maranhão

A ministra informou, ainda, que a secretaria vai criar um observatório para acompanhar as investigações de atentados contra jornalistas.

    Leia tudo sobre: jornalistasfederalização do crime

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG