PF indicia superintendente da Funasa em Pernambuco e mais 12

Os envolvidos supostamente participavam das diversas fases de execução de obras com licitação fraudada e superfaturamento

AE |

selo

A Polícia Federal indiciou nesta sexta o superintendente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) no Recife, Alcio Pitt, o secretário municipal de obras do município de Arcoverde e mais 11 pessoas - entre engenheiros, empresários e funcionários públicos - por suspeita de fraudes relacionadas a obras públicas em Pernambuco.

Deflagrada pela PF, Receita Federal e Controladoria Geral da União (CGU), a Operação Resgate é fruto de uma investigação iniciada há três anos. De acordo com a PF, os envolvidos participavam das diversas fases de execução de obras públicas de pequeno e médio porte em municípios do interior pernambucano - da captação de recursos a aprovação de projetos básicos, incluindo licitações fraudadas e superfaturamento nos preços e materiais empregados nas obras, que eram fiscalizadas por integrantes do grupo.

Funai alerta para risco de genocídio de índios isolados no Acre

Nas obras fiscalizadas pela CGU, o prejuízo ao erário público é estimado em R$ 2 milhões, mas o desfalque total aos cofres públicos pode ultrapassar os R$ 20 milhões, de acordo com a PF-PE.

Não foi decretada nenhuma prisão. A Operação também incluiu o cumprimento de mandados de busca e apreensão e sequestro de bens em seis municípios pernambucanos - Caruaru, Macaparana, Paudalho, São Benedito do Sul, Arcoverde e Recife.

Funai aprova estudos para reconhecimento de novas terras indígenas

A Funasa no Recife não se pronunciou sobre o assunto. A prefeitura de Arcoverde se colocou à disposição para prestar esclarecimentos aos investigadores. Os indiciados irão responder pelos crimes de fraude e dispensa indevida de licitação, peculato, falsificação de documento público e formação de quadrilha.

    Leia tudo sobre: funasasuperintendentecorrupção

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG