150 pessoas são indiciadas por aborto em Campo Grande

A polícia civil do Mato Grosso do Sul indiciou 150 pessoas acusadas de cometerem o crime de aborto, entre os anos de 2000 e 2002, em uma clínica na capital do Estado, Campo Grande. Outras 1250 fichas de pacientes estão sob investigação.

Redação |

Acordo Ortográfico

O caso teve início em 10 de março do ano passado, quando jornalistas entraram na clínica com uma câmera escondida e a foi feita.

No dia 6 de junho deste ano, por determinação judicial, cerca de 9.800 fichas retornaram à polícia para serem examinadas. A maioria delas não possui as provas necessárias para instauração de inquérito e serão arquivadas, restando assim as 1250 que são investigadas no momento.

As fichas têm dados como o nome completo da paciente, as datas de nascimento e da consulta, e se ela tinha um acompanhante. Com essa última informação, os parceiros das mulheres que fizeram aborto também podem ser indiciados.

Segundo a delegada Regina Márcia Rodrigues da Mota, é possível verificar a participação do parceiro no aborto segundo o relato das mulheres. É em virtude do depoimento delas que sabemos. O parceiro pode ter levado a mulher ou pago pelo serviço.

A delegada também disse que estão sendo tomadas as cautelas necessárias para que sejam preservadas a imagem, intimidade e nome dessas mulheres.

Leia mais sobre: aborto

    Leia tudo sobre: aborto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG