"Infame", "repugnante", "desprezível", foram os insultos que Berlusconi proferiu por telefone ao jornalista

O chefe do governo italiano, Silvio Berlusconi, envolvido num caso que já está sendo chamado de Rubygate, de prostituição de menores e abuso de poder, insultou o apresentador de um especial da televisão sobre o assunto.

"Infame", "repugnante", "desprezível", foram os insultos que Berlusconi proferiu por telefone ao jornalista Gad Lerner, do programa L'Infedele, acusando-o de "deformar a realidade" e de usar "falsas teses, distantes da realidade e da verdade".

O chefe de governo, que perdeu completamente o controle, interveio no programa de sem ser convidado para defender uma das envolvidas no escândalo, a dentista e assessora de seu partido Nicole Minetti, de 26 anos, também acusada de indução à prostituição e de recrutar jovens que participavam das festas particulares do primeiro-ministro.Durante a breve ligação, Berlusconi ofendeu as convidadas ao debate chamando-as "dessas chamadas senhoras".

O apresentador reagiu dizendo: "Você é um mal educado".É a terceira vez em 10 meses que Berlusconi intervém espontaneamente nos programas de televisão, embora até agora tenha evitado expressar tanta raiva e desprezo."Berlusconi ultrapassou qualquer limite", atacou a oposição de esquerda, entre eles Giuseppe Fioroni e Rosy Bindi, do Partido Democrata.

"Trata-se de uma grave agressão, estamos colocando em jogo o sentido democrático da nação", afirmou Leoluca Orlando, da Itália dos Valores.Para os ex-aliados de direita da Futuro e Liberdade, o chefe de governo "usa um tom ameaçador, sem medida", enquanto a formação governista, o Partido da Liberdade, "justificou" a atitude de seu líder.

O chefe do governo italiano enfrenta o maior escândalo de sua carreira política depois de ter sido acusado no dia 14 de janeiro pela Procuradoria milanesa de prostituição de menores e abuso de poder.

O primeiro-ministro é investigado pelo caso da jovem marroquina, conhecida como "Ruby Rouba-corações", que teria mantido relações sexuais pagas com o chefe de governo quando era menor de idade.Berlusconi negou as acusações e contra-atacou, acusando os juízes de persegui-lo "injustamente" com "fins políticos".As revelações diárias de detalhes escabrosos das festas envolvendo jovens em sua residência particular de Milão vêm afetando a imagem do primeiro-ministro conservador, de 74 anos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.