Sessão do 1º Tribunal do Júri, no Fórum Criminal da Barra Funda, zona oeste de São Paulo, durou mais de nove horas

Lamberto José de Carvalho Alves, acusado de participar da morte do bombeiro João Alberto da Costa em 13 de maio de 2006, durante os ataques do Primeiro Comando da Capital (PCC) em São Paulo, foi condenado a 46 anos e dois meses na noite de ontem.

A sessão do 1º Tribunal do Júri, no Fórum Criminal da Barra Funda, zona oeste de São Paulo, durou mais de nove horas e condenou Alves pelos crimes de homicídio contra o bombeiro, tentativa de homicídio contra Aderson Donizete de Freitas e Adriano Pedro Horácio, formação de quadrilha e porte ilegal de arma de fogo.

Costa foi assassinado na Alameda Barão de Piracicaba, zona oeste da capital, onde funciona o 2º Grupamento de Bombeiros da Polícia Militar do Estado.

Na época, tinha 40 anos. A ordem de execução teria partido de Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, e Júlio César Guedes de Moraes, o Julinho Carambola, líderes do PCC.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.