Ataques dominam debate até o fim

Temas como Habitação e Saneamento Básico servem de pretexto para continuidade de acusações

Rodrigo Viana, iG Goiânia |

No segundo bloco do debate, os ataques mútuos entre os candidatos se concentraram em questões relacionadas com a Habitação e o Saneamento Básico.

Como na primeira fase, os concorrentes deixaram as perguntas e proposta e mantiveram o tom denuncista do início.

Iris começou ao afirmar que Marconi teria prometido 245 mil casas e não teria construído.

O tucano rebateu ao afirmar que as moradias eram de péssima qualidade e pediu aos eleitores para lembrarem do filme “Dois filhos de Francisco”.

O detalhe é que a dupla Zezé di Camargo & Luciano faz campanha para o candidato do PSDB e o jingle de Marconi no segundo turno é uma releitura de “É o amor”.

O Banco do Estado de Goiás (BEG) e a Caixa Econômica do Estado de Goiás (Caixego) também entraram no debate e os candidatos ficaram acusando um ao outro pelo rombo e pela venda dos bancos.

Iris ainda afirmou que Marconi deixou a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) pela metade e o rio Meia Ponte poluído.

Marconi justificou que há esgotos clandestinos desaguando no rio e atacou o peemedebista afirmando que ele doa terrenos, mas não dá escritura porque quer o voto cativo das famílias.

    Leia tudo sobre: Eleições GOEleições Debate

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG