União Nacional dos Estudantes e União Brasileira de Secundaristas divulgam nota com pedido de retratação, mas apoiam exame

“Alunos q (que) já ‘dançaram’ no Enem tentam tumultuar com msgs (mensagens) nas redes sociais. Estão sendo monitorados e acompanhados. Inep pode processá-los”. A mensagem do Ministério da Educação (MEC) publicada no twitter no final do segundo dia de prova do Exame Nacional do Ensino Médio foi entendida pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes) como "perseguição" e "ameaça".

A nota enviada a imprensa "exige" três pontos: "1, a imediata retratação pública do MEC e a responsabilização do autor da frase escrita no Twitter oficial da Assessoria de Comunicação Social do Ministério da Educação. A UNE e a UBES não aceitam qualquer tipo de ameaça aos estudantes brasileiros; 2, o imediato e minucioso diagnóstico do Ministério da Educação sobre os problemas ocorridos e o exato número de estudantes prejudicados; 3, a imediata decisão por parte do MEC de que os estudantes prejudicados terão o direito de realizar um novo exame".

As associações afirma ainda que são a favor do Enem, que consideram importante para democratização da universidade brasileira. "Não nos somamos àqueles que se utilizam dos problemas para descredibilizar o Enem. Na opinião da UNE e da UBES, o Enem deve se consolidar. O Enem é também elemento fundamental na construção do Sistema Nacional da Educação. Defender o Enem é, antes de tudo, corrigir os seus erros."

    Leia tudo sobre: Enem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.