Assembleia dribla manobra eleitoreira e aprova empréstimo da Celg

Retirada do artigo que permitia uso eleitoreiro dos recursos da companhia viabilizou operação

Rodrigo Viana, iG Goiânia |

Com ressalvas, a Assembleia Legislativa de Goiás aprovou na madrugada de hoje o empréstimo de R$ 3,7 bilhões para a Celg (Companhia Energética de Goiás).

A condição para a aprovação foi a retirada de artigo que permitia ao Governo do Estado usar como quisesse parte do dinheiro.

Do montante da operação, a primeira parcela de R$ 1,2 bilhão poderia ser empregada pelo governador para outras finalidades, inclusive, beneficiar prefeituras aliadas do candidato oficial, Vanderlan Cardoso (PR).

Uma vez removido o “vício de origem“, os parlamentares aprovaram por quase unanimidade (38 votos contra um) e em primeira votação a operação financeira.

O substitutivo do relator Daniel Messac (PSDB) prevê que a primeira parcela seja destinada ao pagamento do principal credor da Celg: a Eletrobrás. O valor total da dívida chega a R$ 1,7 bilhão.

Atualmente, a Celg possui R$ 750 milhões em dívidas de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para repassar às prefeituras.

“Os prefeitos estão só esperando o dinheiro, as obras, para continuar apoiando o candidato do governo”, disparou o deputado estadual Jardel Sebba (PSDB) em reunião da Comissão Mista.

O líder do governo e candidato a vice na chapa de Vanderlan, Ernesto Roller (PP), tentou ainda passar um voto em separado, que foi rejeitado por 22 votos a 13. 

Roller disse que votaria a favor “do que restou do projeto”. “Meu voto será favorável ao substituto para que não digam que o Governo queria apenas os recursos do empréstimo”, afirmou o pepista.

    Leia tudo sobre: Eleições GOEleições Celg

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG