Apagão atingiu 87,5% dos consumidores da Bahia

Blecaute provocou ainda paralisação do Pólo Industrial de Camaçari e prejudica o abastecimento de água no Estado

Thiago Guimarães, iG Bahia |

O apagão que atingiu o Nordeste entre a noite de quinta-feira (3) e a madrugada desta sexta-feira (4) afetou 87,5% dos consumidores de energia da Bahia, informou a Coelba, concessionária de energia do Estado. Segundo a empresa, a interrupção no fornecimento de energia começou à 0h20 (horário de Brasília) e atingiu 4,2 milhões dos 4,8 milhões de consumidores. A situação começou a ser normalizada à 1h48 e o sistema se restabeleceu completamente às 4h36.

Em nota, a concessionária informou apenas que o apagão foi resultado de “problema no sistema interligado nacional, operado pelo ONS [Operador Nacional do Sistema Elétrico]”. “Mais informações sobre o ocorrido devem ser obtidas com o ONS”, diz o texto.

Sobre a dificuldade que consumidores de Salvador tiveram durante a madrugada para contatar a empresa, a Coelba informou disse que houve “congestionamento de linhas”. O blecaute provocou ainda a paralisação das atividades no Polo Industrial de Camaçari (região metropolitana de Salvador), que responde por 30% do PIB (Produto Interno Bruto) da Bahia, com mais de 90 empresas químicas, petroquímicas e de ramos como celulose, têxtil e automotivo. 

“O polo foi evacuado nesta manhã. A informação que temos é que por causa do apagão não tinham conseguido colocar equipamentos em funcionamento. Funcionários administrativos e terceirizados foram liberados”, afirmou Carlos Itaparica, diretor do Sindicato dos Químicos e Petroleiros da Bahia. 

O Cofic (Comitê de Fomento Industrial de Camaçari), que reúne as empresas do polo, informou que as condições de segurança no local estão asseguradas. As entradas do complexo chegaram a ser bloqueadas pela Polícia Rodoviária durante a manhã por medida preventiva, causando congestionamento de caminhões. 

Apagão prejudica trânsito e abastecimento de água

Embora o fornecimento de energia tenha sido retomado ainda durante a madrugada, o trânsito na capital baiana foi afetado pela manhã, com semáforos que permaneciam fora de serviço. Segundo a Transalvador (empresa que gerencia o trânsito na cidade), os casos foram isolados e resolvidos ainda durante a manhã.

O apagão também pode ter motivado um vazamento registrado na manhã desta sexta (4) em uma adutora da Embasa (Empresa Baiana de Água e Saneamento). O fornecimento de água foi interrompido em grande parte dos bairros de Salvador. A empresa previa a retomada gradual do abastecimento a partir do início da noite.

A Embasa informou ainda que a falta de energia elétrica também prejudicou o abastecimento de água em Feira de Santana (109 km de Salvador) e em outros cinco municípios da região, afetando cerca de 700 mil pessoas.

No litoral norte do Estado, o apagão afetou o funcionamento de bombeamento de poços na região entre Abrantes e Arembepe, reduzindo a disponibilidade de água. 

Até o início da tarde desta sexta-feira (4), a Secretaria da Segurança Pública do Estado havia registrado no dia cinco homicídios e dois roubos a ônibus na Grande Salvador, números dentro da média de ocorrências. 

“Ficou perigoso”, diz freqüentador do Festival de Verão

O blecaute ocorreu em meio à segunda noite do Festival de Verão, um dos maiores eventos de música do ano na capital baiana, que vem reunindo cerca de 50 mil pessoas diariamente. 

O problema atrasou a apresentação de Ivete Sangalo, a principal da noite. Geradores foram direcionados para garantir o show, deixando outras áreas às escuras. 

“A força foi toda para o palco principal, e o resto ficou no breu. Ficou perigoso”, disse o jornalista Fagner Abreu, de 25 anos, que disse, contudo, não ter presenciado crimes no local.

    Leia tudo sobre: apagão no nordesteblecautebahia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG