Isolamento do sistema sul impediu difusão de apagão

A Região Sul registrou poucos efeitos do blecaute que afetou vários Estados por volta das 22 horas de ontem porque seu sistema elétrico foi isolado do restante do País, explicou o diretor de operações da Eletrosul, Antônio Waldir Vituri. O ponto principal de isolamento foi feito em Ivaiporã (PR) para impedir a propagação do problema pelo sistema elétrico da região.

Agência Estado |

Além disso, a região está gerando mais energia do que consome. Os três Estados tinham uma demanda instantânea de 10 mil Megawatts (MW) e a produção localizada na região conseguia suprir toda a necessidade, sem depender do intercâmbio com o sistema interligado nacional.

Houve cortes contingenciais e o Paraná foi o mais afetado. Conforme os dados da Eletrosul, o Estado teve 460 MW de corte, que duraram 20 minutos, ante uma demanda total de aproximadamente 4 mil MW. Em Santa Catarina, o corte foi de apenas 35 MW, quando a demanda era de 2 mil MW. O Rio Grande do Sul teve interrompidos 15 MW, enquanto a demanda estava em 4 mil MW. Como a oferta de energia disponível na região era suficiente, não foi preciso acionar as usinas de reserva. Os reservatórios da Região Sul estão em boas condições, com cerca de 80% de sua capacidade de água armazenada por causa de frequentes chuvas.

"O sistema regional sul reagiu bem à ocorrência", avaliou o diretor. A resposta do sistema foi extremamente eficaz, segundo o diretor, no sentido de isolá-lo do problema, o que foi feito de forma imediata. Ele considerou que o sistema elétrico é robusto e ocorrências como a de ontem são "fortuitas", mas disse que é preciso avaliar suas causas para evitar que se repitam. A ausência de uma fonte tão importante como Itaipu não conseguiria ser suprida pela geração do sistema sul, explicou Vituri. Se houvesse uma contingência e a usina precisasse ser desligada de forma programada, a geração de todo o País teria condições de compensar esta falta. "O sistema é projetado para ter estas contingências", comentou. "Certamente se fosse uma usina de menor porte isso seria possível."

Além de Ivaiporã, o sistema sul se interliga ao nacional em Bateias (PR) e Londrina (PR). Em Ivaiporã, há cinco linhas de 500 kilo Volts (Kv) conectadas à subestação do município, das quais três foram construídas entre 2003 e 2007. Isso aumentou a confiabilidade e a capacidade de transferência de energia entre o sistema sul e o restante do País, explicou o diretor. A Eletrosul responde por aproximadamente 80% da transmissão de energia na Região Sul.

    Leia tudo sobre: blecaute

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG