Investigação de apagão está na fase do "achismo", diz Lula

O presidente citou a possibilidade de o problema ter sido causado por um raio, excesso de carga ou até mesmo erro humano

iG São Paulo |

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira que as causas do apagão desta semana devem ser investigadas pelos órgãos do setor elétrico para que se tenha uma resposta precisa do episódio.

"Só posso confiar em informações técnicas para saber se tem coisa além do que eles, ministros da área energética, me colocaram, de que seria por conta das intempéries", disse. "Nós estamos na fase do achismo. Quando terminar a fase do achismo, nós vamos entrar na fase mais objetiva, que são os resultados concretos de toda a investigação."

Na terça-feira, um blecaute deixou 18 estados brasileiros às escuras, depois da queda de três linhas de transmissão que recebem energia produzida pela usina hidrelétrica de Itaipu e a transmite às regiões Sul e Sudeste. O apagão teve início às 22h13 e, segundo Itaipu, a situação foi normalizada por volta das 5h.

"É preciso ter um processo de investigação para descobrir o que houve", completou Lula em entrevista a jornalistas após evento sobre iniciação científica, em São Paulo. Segundo o presidente, o Operador Nacional do Sistema (ONS) e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) serão as responsáveis pela apuração.

Lula admitiu que não há certeza sobre o que motivou o blecaute. "O caso foi muito delicado. Não estourou nenhuma torre, não desmontou nada e aconteceu um blecaute sem tamanho. Já vi tanta coisa que fico sempre com cuidado." O presidente citou a possibilidade de o problema ter sido causado por um raio, excesso de carga ou até mesmo erro humano. Descartou, no entanto, a hipótese de tratar-se de uma sabotagem. "Descarto sabotagem. Quem quer fazer sabotagem para o Brasil nesse momento tão bonito? Não acredito."

Discurso diferente

Na quinta-feira, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse que o assunto apagão estava encerrado. "Está encerrado. Foi possível restaurar todo o sistema dentro de muito pouco tempo. Buscamos a causa e foi identificada por Furrnas e ONS [Operador Nacional do Sistema]. Já decidimos o que fazer e estamos tomando providências para daqui pra frente melhorar cada vez mais um sistema que já é muito bom, afirmou.

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, também voltou a culpar o mau tempo, na quinta-feira, como causa do apagão. De acordo com a ministra, o sistema foi submetido a uma situação muito forte de vendaval, chuvas e raios que teria desligado a transmissão como forma de proteção. "A avaliação da causa é essa. Se houve mais elementos, a responsável é a Aneel", disse.

Polícia Federal

Também nesta tarde, o corregedor-geral do Senado, senador Romeu Tuma (PTB-SP), encaminhou à Mesa Diretora da Casa um requerimento para que a Polícia Federal (PF), por meio do Instituto de Criminalística, investigue as causas do apagão, "inclusive com a realização de perícia local e identificação dos eventuais responsáveis", destaca o senador.

No requerimento, Tuma ressalta que é função "primordial" do Senado fiscalizar os atos do Poder Executivo. Segundo ele, "é de fundamental importância que a população brasileira saiba as circunstâncias fáticas e os eventuais responsáveis, caso existam, pelo apagão elétrico".

*Com iReuters e Agência Estado

    Leia tudo sobre: apagão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG