Descarga elétrica causou apagão, diz governo

BRASÍLIA - O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou, em entrevista coletiva, que o apagão que afetou dezoito Estados brasileiros na noite de terça-feira foi causado por descargas atmosféricas provocadas por ventos e chuvas fortes na região de Itaberá (SP).

Lucas Ferraz, iG Brasília |


Segundo o governo, um curto atingiu três circuitos que ligam Itaberá e a usina de Itaipu. A pane causou um "efeito cascata" e provocou curtos em outras linhas de transmissões. Para evitar um acidente maior, o sistema foi desligado.

Lobão afirmou que a conclusão é unânime entre todos os órgãos que integram o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, e acrescentou que o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) confirmou a ocorrência dos fenômenos atmosféricos na região de Itaberá.

Agência Estado
DF - APAGÃO/LOBÃO - CIDADES - O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, durante entrevista coletiva sobre o blecaute que atingiu ontem à noite cidades de 18 Estados do País, na sede do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), em Brasília, nesta quarta-feira.
O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, durante entrevista coletiva na sede do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), em Brasília, nesta quarta-feira.

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico foi criado em 2004, durante a gestão da então ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff. A reunião desta quarta-feira sobre o apagão durou cerca de 1h30 e contou com a participação de 41 pessoas.

Além do ministro, também estiveram na coletiva Luiz Eduardo Barata, diretor de operações da ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) e Nelson Hubner, diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). 

Questionado sobre quantos brasileiros foram afetados pelo blecaute, Lobão respondeu apenas que 40% da energia do País caiu na noite de terça-feira.

Lobão negou falta de investimentos em energia e disse que o ONS atualiza anualmente seu plano de defesa do sistema elético. "Ele (o sistema) não é frágil, é forte, voltou em minutos em alguns Estados e em questão de poucas horas no Rio e em São Paulo", afirmou.

Mas Lobão reconheceu que as condições meteorológicas podem voltar a causar problemas. "O Brasil é um dos países em que mais ocorrem estes fenômenos e aquela região (Itaberá) ainda mais. Deus queira que um apagão não volte a acontecer", disse o ministro.

Segundo Lobão, problemas semelhantes já aconteceram em outras partes do mundo, como os casos registrados em 2003 nos Estados Unidos (que afetou também o Canadá) e na Itália. Nestas ocasiões, a população ficou sem energia por, respectivamente, quatro dias e 24 horas, disse.

Durante a coletiva, Nelson Hubner, diretor da Aneel, afirmou que os brasileiros que tiveram equipamentos danificados devido ao blecaute podem pedir ressarcimento às operadoras de energia elétrica.

Furnas

Em nota, Furnas informou ter investido, entre 2005 e 2008, R$ 1,089 bilhão na modernização em seu sistema de transmissão. Ainda de acordo com o comunicado, o sistema de transmissão de Itaipu é composto por dois sistemas: um em corrente alternada e outro em corrente contínua.

As duas linhas de corrente contínua medem, aproximadamente, 800 Km cada e as três de corrente alternada têm cerca de 890 Km de extensão.


Veja o infográfico

Com reportagem de Fred Raposo, iG Brasília, e informações da BBC

Leia mais:

    Leia tudo sobre: blecaute

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG