Condições climáticas severas causaram apagão, diz Lobão

BRASÍLIA (Reuters) - O apagão que atingiu 18 Estados afetando dezenas de milhões de brasileiros na terça-feira teve origem em condições atmosféricas adversas que afetaram uma subestação de energia no Estado de São Paulo. Raios, chuvas e ventos provocaram um curto-circuito nos três circuitos de Itaipu que levam energia às regiões Sul e Sudeste, passando pela subestação de Itaberá (SP), no sul do Estado, informou o ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, nesta quarta-feira.

Reuters |

O distúrbio desencadeou uma queda de 40 por cento na oferta de energia do país durante um período médio de 3 horas e meia.

"Foi um acidente", afirmou Lobão em entrevista à imprensa no início da noite. Ele destacou que apagões ocorrem em todos os países e o de terça-feira não sinalizaria fragilidade do sistema brasileiro.

Questionado se faltaram investimentos no setor, Lobão argumentou que o governo investiu 22 bilhões de reais em linhas de transmissão desde 2003, início do governo Lula, aumentando em 30 por cento as linhas.

"Eu tenho condições de dizer ao povo brasileiro que esteja tranqüilo, o sistema que temos nos Brasil é bom."

Segundo o diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico, Luiz Eduardo Barata, às 4h desta quarta-feira o sistema de energia do país voltou a operar dentro da sua normalidade. A exceção foram as usinas de Angra, que demoraram mais a voltar à operação porque, por se tratar de usinas nucleares, demandaram uma avaliação mais criteriosa dos problemas antes de serem religadas.

Lobão disse que esteve em contato permanente com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva desde o início dos distúrbios, pouco depois das 22h de terça-feira. A prioridade do presidente na terça-feira, segundo Lobão, foi saber das perspectivas de normalização do sistema.

(Reportagem de Isabel Versiani; edição de Alexandre Caverni)

    Leia tudo sobre: apagão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG