Ao lado de Lugo, Lula prega combate a criminalidade

Depois de participar de cerimônia de cumprimentos em Ponta Porã(MS), na linha de fronteira entre Brasil e Paraguai, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva condenou todo o tipo de criminalidade e defendeu a integração entre os dois países no combate ao narcotráfico na região. Em discurso, Lula se comprometeu a combater tudo que estiver à margem da lei e toda a criminalidade "tenha ela a cara que tiver".

iG São Paulo |

Depois de participar de cerimônia de cumprimentos em Ponta Porã(MS), na linha de fronteira entre Brasil e Paraguai, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva condenou todo o tipo de criminalidade e defendeu a integração entre os dois países no combate ao narcotráfico na região. Em discurso, Lula se comprometeu a combater tudo que estiver à margem da lei e toda a criminalidade "tenha ela a cara que tiver". Lula ofereceu ao Paraguai toda a ajuda que for necessária dentro do processo de integração.

No discurso, o presidente Lula voltou a condenar o golpe em Honduras e ressaltou: "não há mais espaço para rupturas institucionais e golpes militares na nossa região". Lula ressaltou a "oposição firme" do Paraguai e Brasil contra o golpe de Honduras reiterando que não serão aceitas quarteladas explícitas ou mal disfarçadas.

Ao defender a necessidade de integração nos países da região, Lula afirmou que não convém ao Brasil ser uma ilha de prosperidade no mar revolto. "A sorte do Paraguai é a nossa sorte", disse. Ele anunciou a conclusão da negociação para a construção da linha de transmissão de Itaipu até Assunção. Defendeu a construção de uma segunda ponte no Rio Paraná, ligando os dois países. Ele anunciou que vai lançar a pedra fundamental da segunda ponte do rio Paraná antes do final do governo.

Lula disse que Brasil e Paraguai discutem também o regime de tributação unificada. O presidente brasileiro lembrou que entre janeiro e março deste ano a balança comercial entre os dois países cresceu 60% em relação ao mesmo período do ano passado. "Isso sinaliza que estamos superando a crise", afirmou.

Ele aproveitou o encontro para cobrar do Paraguai a aprovação da entrada da Venezuela no Mercosul. O Paraguai é o único país que ainda não obteve a aprovação do seu Congresso da entrada da Venezuela no bloco.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG