A um mês da eleição, candidatos ao governo mantêm tom cordial

Sabatina organizada pela OAB-ES foi marcada por apresentação de propostas, sem ataque entre adversários

Paula Daibert, iG Rio de Janeiro |

Sem ataques pessoais graves, os candidatos ao governo do Espírito Santo Renato Casagrande (PSB), Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB) e Brice Bragato (PSOL) participaram nesta quinta-feira (2) de uma sabatina organizada pela Ordem dos Advogados do Brasil seção Espírito Santo (OAB-ES), em Vitória.

Apesar de algumas provocações da ex-deputada do PSOL, que sugeriu que o tucano Luiz Paulo, adversário do governista Casagrande, deveria se posicionar como oposição ao governo de Paulo Hartung (PMDB), a cordialidade deu a tônica do evento. Em vez de rebater, Luiz tentou colar sua imagem à do governador. 

“Tenho muito orgulho de ter chegado até aqui, isso se deve à minha persistência de negar a ideia de plebiscito. Não quer dizer que eu seja obrigado a concordar com tudo”, disse o tucano, a fim de convencer os eleitores de que é crítico, mas não opositor ao governo.

O tom mais explosivo da noite coube mesmo a Brice. Além de provocar Luiz Paulo, ela chamou Hartung de “imperador”. “Como um único homem pode movimentar quase todos os partidos políticos?”, perguntou, em referência às 15 legendas que apoiam Casagrande. “Aqui ( no Espírito Santo ) existe uma ditadura política”, afirmou.

Já o senador Casagrande, candidato apoiado tanto pelo governo estadual quanto pelo federal, manteve seu discurso de que dará continuidade aos projetos de Hartung. “O povo capixaba reconhece o que foi feito nos últimos anos no Estado. O que desejo é manter a casa arrumada. Sem retrocesso”, falou.

A sabatina foi divida em cinco blocos. Primeiro os candidatos tiveram 3 minutos para se apresentar. Depois, responderam a perguntas enviadas por advogados, jornalistas e entidades sociais sobre o sistema carcerário estadual; combate ao tráfico de drogas; a educação, mobilidade urbana, entre outros.

Segurança ganha destaque

Sobre segurança pública, um dos temas mais criticados do governo Hartung, Luiz Paulo declarou que, se eleito, reduzirá a taxa de presos não julgados e acelerará os julgamentos.

Já Casagrande prometeu dar continuidade aos investimentos no sistema penitenciário e ressaltou a necessidade de dar educação e profissionalização aos detentos, para que possam ser “ressocializados”.

Brice propôs a unificação das polícias e denunciou: “São praticadas torturas, esquartejamentos e ameaças dentro das prisões”.

Promessas nas considerações finais

Ao final da sabatina, que durou cerca de 1h40, a candidata do PSOL elogiou a iniciativa da OAB-ES e fez um apelo aos eleitores. “É hora de parar de governar para o poder econômico e resolver os problemas sociais do Espírito Santo”, disse.

Já Casagrande se comprometeu a enfrentar os desafios deixados pelo governo de Hartung. “Quero projetar esse Estado no cenário nacional”, afirmou. “A casa está arrumada”.

O tucano Luiz Paulo ressaltou que, se eleito, vai manter o equilíbrio fiscal e tirar o Estado do "segundo pior lugar do ranking em segurança pública".

    Leia tudo sobre: eleições escasagrandeluiz paulobricesabatinaoab

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG