Novo ministro da Justiça, Osmar Serraglio garante a verba da Lava-Jato

Deputado do PMDB paranaense afirmou que vai manter distância da operação e ainda negou dever favor a Eduardo Cunha

Anunciado nesta quinta-feira (23) como novo ministro da Justiça  pelo presidente Michel Temer, o deputado federal Osmar Serraglio (PMDB-PR) falou após ter seu nome confirmado para o cargo. Ele garantiu o orçamento para a Operação Lava-Jato e ressaltou a importância de evitar influências externas nas investigações.

"No que depender de nós para que a Operação Lava Jato tenha o êxito que a população espera, pode contar, que nós tomaremos as providências necessárias", afirmou. Quanto à influência que poderia exercer sobre a Operação, o novo ministro foi categórico. "A ordem é manter distância, porque a gente sabe que qualquer coisa que você faça, você se contamina", disse Serraglio.

Foto: Antonio Augusto/ Câmara dos Deputados
Osmar Serraglio (PMDB-PR) será o novo ministro da Justiça

Ele ainda defendeu o sistema de delações premiadas, muito utizado pela Lava-Jato. "Tem mostrado resultados, é uma prática internacional, não vejo por que criar dificuldades", opinou.

Eduardo Cunha

Serraglio também se defendeu das acusações de que ele deveria favores a Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados e hoje preso em Curitiba por acusações de corrupção. "Essa história de que devo favor a Cunha é folclore", disse Serraglio, que sempre foi apontado como um dos grandes aliados de Cunha dentro da base do PMDB.

LEIA MAIS: Senado confirma Alexandre de Moraes como novo ministro do STF

Serraglio é gaucho,  advogado e está em seu quinto mandato como deputado federal. Ele assume o Ministério da Justiça após Alexandre de Moraes, que ocupava o cargo, ser escolhido para a vaga de ministro do STF (Superior Tribunal Federal).

Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/2017-02-23/serraglio-entrevista.html