Vítimas tentaram se aproximar de ex-médico, condenado por estuprar e assediar sexualmente suas pacientes

Às 16h37, o ex-médico Roger Abdelmassih deixou o Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, em direção ao presídio de Tremembé, no interior paulista. Vítimas e curiosos que aguardavam o criminoso, condenado a 278 anos de prisão por estuprar e abusar sexualmente de pacientes, tentaram se aproximar dele.

O clima ficou tenso, mas o grande número de policiais ajudou a conter a confusão.

"Vai, seu vagabundo!", gritou uma das vítimas enquanto ele era colocado na viatura.

Por dois momentos, Abdelmassih, já algemado e vestindo um coleto à prova de balas, espiou a aglomeração e mostrou contrangimento. 

A viatura onde Abdelmassih foi colocado foi escoltada até Tremembé, que fica a 135 quilômetros da capital paulista. A previsão é que o preso dê entrada no presídio no início da noite.

Lembrou dos filhos e chorou

Abdelmassih foi ouvido pela polícia antes de seguir para o presídio de Tremembé. Segundo o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, ao ser perguntado sobre a família, o ex-médico chorou muito. "Ele não queria que os filhos o visitassem na cadeia", disse o policial.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.