Dilma Rousseff lamenta morte de Roberto Civita; veja outros depoimentos

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

"Era um homem de coragem e de vanguarda. Tinha amor pelo Brasil", também declarou o governador de SP, Geraldo Alckmin. Outras autoridades prestaram homenagem

A presidente Dilma Rousseff lamentou a morte do empresário Roberto Civita, por meio de nota divulgada, na tarde desta segunda-feira (27), pelo Palácio do Planalto. “Lamento a morte do empresário Roberto Civita. Sob o seu comando, a Editora Abril consolidou-se como uma referência. Nesse momento de tristeza, envio meu abraço solidário para sua mulher, Maria Antônia, seus filhos e amigos”, diz a nota.

Leia mais: Presidente do Grupo Abril, Roberto Civita morre aos 76 anos

Civita criou a Revista Veja e presidia o Conselho de Administração do Grupo Abril, fundado pelo seu pai, Victor Civita. Ele morreu no domingo, em São Paulo, onde estava internado desde março, após ter sido submetido a uma cirurgia para correção de um aneurisma abdominal.

Roberto Civita morreu aos 76 anos, em São Paulo. Foto: Adriana Spaca / Futura PressRoberto Civita nasceu em Milão, na Itália, no dia 9 de agosto de 1936. Foto: Futura PressCivita estava internado para a correção de um aneurisma abdominal
. Foto: Futura Press
Roberto Civita foi presidente do conselho de administração e diretor editorial do Grupo Abril. Foto: Futura PressRoberto Civita era filho de Victor Civita (1907-1990), fundador do Grupo Abril. Foto: Fred ChalubVelório do empresário Roberto Civita será no crematório Horto da Paz, em Itapecerica da Serra. Foto: Marcos Bezerra/Futura PressCoroas de flores chegam ao velório do jornalista e empresário Roberto Civita. Foto: Marcos Bezerra/Futura Press

Veja mais depoimentos sobre Roberto Civita: 

“Roberto Civita era um homem de coragem e de vanguarda. Tinha amor pelo Brasil, obsessão pela verdade e crença inabalável na liberdade de imprensa. Ao idealizar e criar publicações como Veja, maior revista de informação semanal fora dos Estados Unidos, deu uma contribuição inestimável à construção da democracia brasileira. Nossos sentimentos à família e aos amigos”.
Geraldo Alckmin, governador de São Paulo.

"Roberto Civita foi uma das personalidades mais importantes da história do jornalismo brasileiro e fará muita falta ao país. Seus ideais de liberdade de expressão e democracia devem, certamente, inspirar ainda muitas gerações. Roberto também era um destemido defensor da livre iniciativa e sempre foi um grande otimista em relação ao futuro do país. Acreditava e trabalhava, há décadas, na construção do desenvolvimento brasileiro por meio da educação. É uma perda inestimável para todos nós. Acima de tudo isso, Roberto Civita, meu amigo, acreditava e lutava pelo Brasil. Neste momento de dor, minha solidariedade à família e a todos os meus colegas do Grupo Abril. Vamos trabalhar para continuar o legado de Roberto Civita."
Fábio Barbosa, presidente-executivo da Abril S/A

"Roberto Civita foi um democrata por convicção e um empreendedor por natureza. Sua incessante busca pela liberdade de imprensa e compromissos com o Brasil tornaram a editora Abril, sob sua direção, em um dos maiores conglomerados de informação da América Latina".
Renan Calheiros, presidente do Senado

"A morte de Roberto Civita deixará um grande vazio. Homem de inabaláveis convicções democráticas, Civita esteve na vanguarda não apenas da defesa da liberdade de imprensa, mas também na edificação de valores republicanos fundamentais. O Grupo Abril, que edita "Veja" entre outras tantas revistas de grande sucesso, muitas delas criadas pessoalmente por Roberto Civita, perde um grande editor e o Brasil, um de seus mais corajosos jornalistas". 
Paulo Skaf, presidente da Fiesp - Federação das Indústrias do Estado de São Paulo

"Roberto Civita foi um dos maiores publishers brasileiros, que teve como ponto de partida o que o pai iniciou. Quem poderia imaginar que o Pato Donald viraria um império? Ele transformou a empresas em um dos maiores grupos de comunicação do mundo. É um feito para uma empresa brasileira".
Miguel Jorge, jornalista e ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio

"Roberto Civita foi um vitorioso em múltiplos desafios. Como empresário e empreendedor, foi um entusiasta com o Brasil e seu potencial. Como editor, um apaixonado pelo conteúdo de suas publicações. Seus títulos são relevantes e influentes na economia, na política e no comportamento social. Mas também destaque na proposta de educar e de oferecer entretenimento. O Grupo Abril é a maior editora de revistas da América Latina e, sob seu comando, um exemplo de dinamismo e eficiência empresarial. Roberto Civita se destacou pela elegância e bom humor. Sua visão empresarial se pautava pela objetividade. Essa mescla se traduzia na árvore sólida e frondosa que simboliza o Grupo Abril, fundado por seu pai Victor. À família, amigos e colaboradores desse grande empresários da comunicação que nos deixa, prestamos nossa profunda admiração pela excepcional trajetória de vida".
Luiz Carlos Trabuco, presidente do Bradesco

"Uma semana terrível para os apóstolos da liberdade de imprensa. São grandes os desafios diante dos herdeiros desse legado".
Gustavo Franco, ex-presidente do Banco Central e economista

"Civita foi um homem que construiu a imprensa brasileira. Construiu um grupo poderoso, que ajudou a dar origem ao Estado democrático de Direito. E a imprensa, como um todo, tem um papel fundamental na construção democrática do País”.
José Nobre Guimarães, líder do PT na Câmara

"O empresário foi responsável pelo lançamento de uma das mais importantes revista semanais brasileiras, a Veja, da qual foi editor-chefe desde o 1º número, em 1968. Tornou o Grupo Abril, em pouco mais de vinte anos, em um dos maiores conglomerados de comunicação da América Latina. Além de sua contribuição em editar um grande número de publicações de qualidade, sobretudo na área de educação, manteve sistemas de ensino de qualidade, inclusive na área tecnológica. Com seu desaparecimento, o Brasil perde um grande empreendedor e jornalista, um homem preocupado em melhorar o nível educacional do Brasil."
Roberto Freire, presidente nacional do PPS

"Roberto Civita, criador da revista Veja, foi um notável jornalista e um interlocutor generoso para ouvir e também para expressar seus pontos de vista. Roberto Civita tinha coragem moral, ousadia empresarial e grande capacidade para o diálogo".
José Serra, ex-governador e ex-prefeito de São Paulo, pelo Twitter

"Não só fazia jornalismo, como amava a arte do jornalismo. Noticiando, afirmando ideias, era intransigente em suas convicções. Ele sabia o preço da liberdade. Era um devoto da iniciativa privada e também um grande defensor da revolução pela educação".
José Sarney, PMDB-AP

"Lamentamos profundamente a sua ausência, uma lacuna impreenchível neste enfrentamento contra a corrupção no Brasil".
Alvaro Dias, PSDB do Paraná

"Civita era um inconformista, não se contentava com a burrice, com o atraso, com o populismo, e com a corrupção. Não aceitava uma explicação fácil para as coisas. Ele era na verdade um grande otimista em relação ao Brasil".
Aloizio Nunes, líder do PSDB no Senado

"Estamos consternados pelo passamento do senhor Roberto Civil, um dos maiores comunicadores brasileiros. Através do grupo Abril, juntamente com seu pai, não tenho a menor dúvida da nova geração”.
Eduardo Braga, líder do governo no Senado do PMDB–AM

Registro minha tristeza pela morte de Roberto Civita. Perde a democracia. Perde o bom jornalismo. Perde o Brasil. E eu perco um amigo, pelo o qual tinha muito respeito, e que sempre foi muito zeloso com minha família, principalmente nos momentos de grande turbulência. Vá em paz. E deixo meu carinho a mulher, filhos e netos.
Luciano Huck, apresentado de TV 

"A morte de Roberto Civita deixa o Brasil empobrecido de ideias. Meu chefe, amigo de tantas batalhas vá com Deus".
Ana Maria Braga, apresentadora de TV, pelo Twitter

"RIP Sr. Roberto Civita. Pai de 2 bons amigos. Um gentleman. E um super editor. Cresci com suas revistas e me dediquei muito ao sonho da MTV".
Astrid Fontenelle, apresentadora pelo Twitter

"O Dr Roberto Civita vai fazer muita falta".
Ana Hickmann, apresentadora de TV, pelo Twitter

Leia tudo sobre: Roberto CivitaGeraldo Alckminigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas