PM cerca área indígena do Maracanã para reintegração de posse para a Copa 2014

Por Agência Estado com informações de O DIA |

compartilhe

Tamanho do texto

Batalhão de Choque chegou às 5h ao redor do prédio do antigo Museu do Índio, próximo ao estádio. Delegado federal, defensor público e deputado estão no local para resolver impasse

Agência Estado

Agência Estado

Fabio Gonçalves / Ag. O Dia
Policiais do Batalhão de Choque cercaram o antigo Museu do Índio para reintegração de posse

Policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar cercaram, às 5h deste sábado, o prédio onde funcionava o antigo Museu do Índio, no Maracanã, zona norte do Rio. A aldeia indígena existente no local será removida para dar lugar às obras de modernização do estádio. Sete viaturas permanecem no local.

No início da tarde, o impasse continua no entorno da Aldeia Maracanã. O delegado federal Marcelo Nogueira chegou ao local com uma equipe da Polícia Federal, após ser chamado pelo defensor público da União Daniel Macedo. O deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL) também está no local.

Os PMs do Batalhão de Choque, comandados pelo subtenente Melo, estão de prontidão ao redor do local tentando cumprir uma ação de reitegração de posse impetrada pelo Estado, que já afirmou que o Museu será demolido para as obras da Copa do Mundo. Atualmente, cerca de 15 famílias de indígenas moram na aldeia.

Segundo o porta-voz dos índios, "Urupau-Guajajára", "a resistência será permanente. "Estamos aqui defendendo um patrimônio da União", disse.

Fabio Gonçalves / Ag. O Dia
Índios se opõem a sair do antigo museu do Índio para reintegração de posse da área a Copa

O presidente da Emop, Empresa de Obras Públicas do Estado, Ícaro Moreno, chegou ao local mais cedo, o que gerou um princípio de tumulto. Moreno tentou conversar com o cacique, mas não houve acordo. Segundo o líder da tribo, o Estado ofereceu aluguel social para o grupo sair do espaço, condição que os índios não aceitam.

De acordo com o defensor público federal Daniel Macedo, se os policiais invadirem oterreno poderão responder por abuso de poder. Ainda segundo ele, os índios estão orientados a não reagir em caso de enfrentamento. Uma nova reunião com representantes de todas as partes deve acontecer durante a tarde. Uma pista da Avenida Radial Oeste teve que ser interditada devido ao grande número de pessoas no entorno da aldeia.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas