OAB reage a críticas de ministro do STF durante julgamento do mensalão

Joaquim Barbosa, ministro relator, chamou de 'absurdos' os pedidos de advogados no processo e quis representar na OAB contra 'ofensas' que disse ter recebido

Agência Estado |

Agência Estado

O presidente da OAB, Ophir Cavalcante, reagiu a pedido feito pelo ministro Joaquim Barbosa, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), para que a corte encaminhasse uma denúncia à Ordem dos Advogados do Brasil a respeito de supostas ofensas que teriam sido feitas a ele por três defensores em suas alegações finais. "No exercício da defesa, o advogado atuou conforme determina sua consciência. Diante dos fatos, é lamentável essa reação do ministro Joaquim Barbosa. Não houve ofensa pessoal. Se o advogado for calado, é a cidadania que é calada. Não se pode restringir o exercício da ampla defesa", comentou Cavalcante.

Julgamento:  Ministros do STF anulam processo de um dos réus do mensalão

Leia mais: Defesa de Duda Mendonça nega lavagem de dinheiro

Leia também: Inri Cristo vai ao STF e pede 'justiça' no julgamento

Saiba mais: Advogado pede mudança na forma do julgamento do mensalão

O ministro queria fazer uma queixa formal, direcionada à OAB, sobre o assunto, mas o pedido foi rejeitado no STF. O advogados alegaram que ele teria antecipado seu posicionamento em entrevistas e estaria sujeito a pressões midiáticas. "Tais afirmações, para dizer o mínimo, ultrapassam o princípio da deselegância e da falta de urbanidade e lealdade, que se exige de todos no processo, aproximando-se da pura ofensa pessoal", disse Barbosa.

Especial iG: Saiba tudo sobre o maior julgamento da história do STF

Em outro momento, Barbosa chamou de '"absurdos" os pedidos de advogados no processo. O STF também decidiu hoje, mais uma vez, pela manutenção de Joaquim Barbosa como relator do processo do mensalão, recusando declarações de impedimento ou parcialidade suscitadas por advogados.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG