O candidato do PMDB à Prefeitura de São Paulo afirmou que o combate às "máfias" da capital depende da desburocratização da máquina pública

Agência Estado

O candidato do PMDB à Prefeitura de São Paulo, Gabriel Chalita , disse ontem que o combate às "máfias" na cidade depende da desburocratização da máquina pública.

Durante sabatina promovida pelo jornal Folha de S.Paulo , Chalita foi questionado se São Paulo é uma cidade dominada por máfias. Segundo ele, os jornais mostram essa realidade diariamente.

Leia as notícias sobre as eleições em São Paulo

Leia também: Chalita minimiza influência religiosa na eleição

O candidato peemedebista participou de sabatina do jornal Folha de S.Paulo nesta terça-feira (14)
Band
O candidato peemedebista participou de sabatina do jornal Folha de S.Paulo nesta terça-feira (14)

"Temos que começar peitando as máfias no começo (do mandato), senão você não peita mais. As coisas têm de ser resolvidas no início do mandato do prefeito, senão não se resolve mais, as coisas erradas continuam acontecendo." Na resposta, o candidato do PMDB citou o atual prefeito, Gilberto Kassab (PSD), e seu antecessor Celso Pitta, já falecido, como os únicos que tiveram bens bloqueados no exercício do cargo. "Alguma coisa está errada", afirmou. Segundo ele, "o mais eficiente para combater a máfia é a tecnologia". "Não é que você acabe com a corrupção, mas dificulta muito."

Religião: Candidatos a prefeito de São Paulo buscam apoio de igrejas

Inspeção

Ainda durante a sabatina, Chalita recuou de sua proposta de acabar com o programa de inspeção veicular ambiental, obrigatório para todos os veículos da capital paulista depois do primeiro licenciamento - e realizado pela concessionária Controlar ao custo de R$ 44,36.

O peemedebista disse que a taxa "é antipática", mas a inspeção, "necessária". "Vou diminuir o imposto. O exame tem de ser pago", afirmou. "Minha opinião em princípio é fazer também a (inspeção) mecânica e descentralizar, permitir que oficinas façam a inspeção."

Em março, Chalita anunciara que sua equipe estudava extinguir a inspeção, que seria reforçada só para veículos pesados, como ônibus e caminhões. Para ele, carros novos devem ser liberados até pelo menos o quinto ano de uso, como em outros países.

Chalita afirmou ainda que pretende apoiar a indústria do audiovisual na cidade. E sustentou que a Prefeitura deveria disputar com o prefeito do Rio, Eduardo Paes , para ser locação de um filme do cineasta Woody Allen. "Seria um dinheiro bem gasto, viu? Bem gasto para incentivar o cinema nacional, para o Woody Allen, para um festival".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.