Discurso de Obama é sua arma mais poderosa, diz historiador

Biografia multirracial muda forma como pronunciamentos de líder americano são recebidos nos EUA e ao redor do mundo

Leandro Meireles Pinto, iG São Paulo |

Desde 2004, quando despontou no cenário político dos Estados Unidos, Barack Obama conquistou sua popularidade amparado por discursos de impacto e oratória cativante. "O discurso de Obama é sua arma mais poderosa", afirmou o historiador político Evan Cornog, professor da Universidade de Columbia, em Nova York.

Getty Images
Obama discursa para milhares de pessoas em Berlim / Getty Images

Seu discurso na Convenção Nacional Democrata de 2004, quando ainda era um desconhecido senador pelo Estado de Illinois, rendeu-lhe a reputação de estrela em ascensão do partido, abrindo caminho para sua candidatura nas primárias presidenciais do partido. 

Durante a campanha eleitoral, em 2008, Obama foi capaz de atrair milhares de partidários dentro e fora dos EUA. Em 24 de agosto de 2008, por exemplo, o então candidato democrata foi a Berlim, na Alemanha, e discursou para mais de 100 mil pessoas.

Em um ano de governo, Obama fez uma série de discursos que marcaram o tom de sua política externa e doméstica.

Ele pediu o fim das armas nucleares em Praga, lançou um "novo começo" com o mundo islâmico no Cairo, justificou a guerra "justa" ao receber o Nobel da Paz em Oslo e assumiu a responsabilidade por falhas na segurança do país em Washington. 

"Obama é o presidente mais eloquente dos últimos 50 anos. Ronald Reagan e John F. Kennedy eram bons oradores, mas ninguém conseguiu passar tanta emoção em seus discursos como Obama", disse Cornog.

Estilo e conteúdo

Jon Favreau, de apenas 26 anos, é o homem responsável por escrever os discursos do presidente dos Estados Unidos. Em entrevista ao "The New York Times", há um ano, ele afirmou que busca inspiração em Jonh Kennedy, Martin Luther King e Robert F. Kennedy.

As declarações de Favreau ao jornal deram munição aos críticos que dizem que a reputação de Obama como grande orador se deve ao fato de "pegar emprestadas" as artimanhas de grandes personalidades do passado. "Esses críticos estão errados. O que atrai no discurso de Obama não é apenas sua oratória. Quando ele fala, estilo e conteúdo andam juntos", disse o professor Cornog.

AP
04/06 - Barack Obama faz sua primeira viagem ao Oriente Médio e profere um histórico discurso na Universidade do Cairo.

O professor explica que, apesar de ter extrema "presença de palco", o presidente só consegue cativar o público em suas falas porque traz uma mensagem "clara, bem estruturada, de acordo com aquilo que as pessoas esperam ouvir".

Segundo o professor Cornog, o passado e a história de vida de Obama também ajudam para aumentar o impacto de seus pronunciamentos.

Nascido em Honolulu, no Havaí, em 4 de agosto de 1961, Obama é filho de Barack Obama Sr., um economista queniano educado em Harvard, e de Ann Dunham, nascida em Wichita, Kansas, Estado incrustado no coração dos EUA. Após o divórcio dos pais, Obama, ainda criança, morou na Indonésia com a mãe e o padrasto.

"Essa biografia incomum também muda a forma como seus discursos são recebidos, não só nos Estados Unidos, mas ao redor do mundo", explicou Cornog.

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG