Como escrever um livro?

Autor de 1822, Lauretino Gomes sugere caminhos para uma boa obra de não-ficção

iG São Paulo |

Laurentino Gomes, autor do sucesso 1808 e do recém-lançado 1822, recebeu a equipe do iG em sua casa e deu dez dicas para quem quer escrever um livro de não-ficção. Assista ao vídeo abaixo ou, se preferir, leia as lições do escritor:

Lição 1: O fundamental é saber escrever e isso só se aprende lendo outros livros. Apenas dessa maneira um autor aprende a dominar as ferramentas que a língua portuguesa oferece para contar uma boa história.

Lição 2: Um livro precisa ser planejado. O escritor precisa saber qual é o assunto de sua preferência, respeitando a sua vocação.

Lição 3: Pesquisar profundamente. Um livro é mais resultado de trabalho braçal e suor do que de inspiração. Uma obra de não-ficção é resultado de uma longa construção sobre aquele assunto que outros escritores fizeram.

Lição 4: Um escritor ou um jornalista não pode ser um franco atirador. É importante buscar uma boa orientação, um especialista que possa orientá-lo sobre as melhores fontes, as mais adequadas.

Lição 5: É importante planejar o corpo do livro. Ao ler as obras de referência o autor já pode imaginar quais serão os capítulos de seu trabalho. Sem esse planejando fatalmente o escritor vai trabalhar além do necessário ou muito menos.

Lição 6: Um livro é um produto como outro qualquer. Por isso é preciso ser disciplinado e cumprir prazos. O autor precisa dedicar-se duas, três horas diárias para rever sua pesquisa, ler o capítulo, saber para onde vai e escrever.

Lição 7: Preocupar-se com as referência bibliográficas, anotando a origem de todas as referências utilizadas no livro.

Lição 8: Uma vez feita a pesquisa e organizadas as informações em capítulos chega o momento da edição da obra. É importante ser muito seletivo e criterioso na escolha das informações. Mesclar elementos pitorescos com informações mais profundas pode garantir um sabor especial ao livro.

Lição 9: É importante ter um bom editor, uma pessoa que possa ajudar na tarefa técnica de editar a obra, fazer a capa, a diagramação, organizar os capítulos... Bata na porta das editoras, leve o projeto do livro, defenda sua ideia. Se você não convencer um editor, provavelmente não convencerá o leitor.

Lição 10: A recomendação final é trabalhar na divulgação da obra após sua publicação. O melhor garoto propaganda de um livro é o seu próprio autor. Participe de feiras literárias, procure pela obra nas livrarias, dê entrevistas, contrate uma assessoria de imprensa. Tudo isso vai ajudar o livro em sua trajetória.

Acesse o especial completo de 1822

    Leia tudo sobre: 1822Laurentino Gomes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG