Ernest James tinha 40 anos quando se tornou um dos 2.753 mortos nos ataques contra as Torres Gêmeas de Nova York

selo

Torre Sul explode após ser atingida por avião nos ataques do 11 de Setembro de 2001
Getty Images
Torre Sul explode após ser atingida por avião nos ataques do 11 de Setembro de 2001
A poucas semanas do aniversário de dez anos dos ataques do 11 de Setembro de 2001, o escritório legista de Nova York anunciou ter identificado a vítima número 1.629 do atentado.

Ernest James tinha 40 anos quando se tornou uma das vítimas no ataque coordenado por militantes afiliados à rede Al-Qaeda.

Há dez anos ele trabalhava como consultor de sistemas de informática na firma Marsh & McLennan, nos andares superiores da Torre Norte do World Trade Center, o segundo dos dois edifícios a desabar naquela fatídica manhã.

Após os ataques, 2.753 pessoas foram oficialmente consideradas mortas . No total, 1.632 foram identificadas, faltando ainda outras 1.121.

"Ele era alegre e dava o melhor de si para ser bom no trabalho", disse a noiva de James, Monique Keyes, de acordo com a rede de TV CNN. "Estou feliz que a identificação tenha chegado nesse momento, perto do décimo aniversário. Sinto que agora se fechou um ciclo."

À rede de TV CBS, Keyes disse que a descoberta "me permitirá dizer adeus, finalmente". Segundo a imprensa americana, as autoridades forenses de Nova York continuam fazendo testes de DNA com mais de 6,4 mil amostras retiradas dos escombros.

Em seu comunicado, a porta-voz do escritório legista nova-iorquino, Ellen Borakove, disse que se trata de um "esforço contínuo".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.