WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, assegurou nesta quarta-feira, quando http://ultimosegundo.ig.com.br/100_dias_de_obama/ target=_topcompleta 100 dias no cargo, que está contente com os progressos alcançados, mas não satisfeito.

Obama lembrou hoje a data com um ato em Saint Louis, no Missouri, e uma sessão de perguntas e respostas com eleitores, que se tornou um de seus formatos favoritos para explicar sua mensagem ao público americano.

À noite, a partir das 20h00 (22h, Brasília), oferecerá no Salão Leste da Casa Branca sua terceira coletiva de imprensa televisionada em horário de máxima audiência, onde também repassará o que foi feito durante os primeiros 100 dias de seu mandato .


Clique e veja o que já foi feito no governo Obama

Em sua reunião com os eleitores, Obama falou do trabalho feito por seu governo nos últimos três meses, desde que tomou o poder, e que esteve centrado especialmente na luta contra a crise econômica.

"Estou confiante com relação ao futuro, mas não estou contente com o presente", disse o presidente, no mesmo dia em que se soube que o Produto Interno Bruto (PIB) do país caiu 6,1% no primeiro trimestre do ano, muito acima do esperado.

Obama reiterou que ainda está no começo de seu mandato e que há "muito por fazer", embora por enquanto tenha se centrado no que tinha prometido, trabalhar em novos investimentos em energia, educação e saúde. "As mudanças que fizemos são as mudanças que tínhamos prometido. Estamos fazendo o que tínhamos dito que faríamos", afirmou.


Obama discursa no Missouri / AP

A comemoração dos 100 dias chega em um momento complicado devido à contração econômica e ao surto de gripe suína, que pode ter afetado 91 pessoas nos EUA, e provocou a primeira morte no país, de uma criança mexicana de 23 meses que foi hospitalizado no Texas.

O governo quis demonstrar que reage com contundência e, além de oferecer encontros com a imprensa diários, Obama pediu na terça-feira ao Congresso US$ 1,5 bilhão para fazer frente à gripe suína.

Porém, apesar desses problemas, a popularidade do presidente se mantém em alta. Uma pesquisa publicada pelo diário "The New York Times" esta semana dava a Obama um apoio de 68%.

Hoje, a cadeia de TV "NBC" deu a Obama um apoio de 61%, acima dos que tinham seus antecessores George W. Bush e Bill Clinton nos primeiros 100 dias.

Recentemente, o presidente americano expressou sua satisfação com o início de uma agenda que considera "sem precedentes" por sua amplitude e rapidez.

Entre outras coisas, Obama conseguiu a aprovação de um plano de US$ 787 bilhões para a luta contra a crise econômica e firmou as bases para o fim do conflito no Iraque, além de fixar uma nova estratégia para o Afeganistão e ordenar o fechamento da prisão de Guantánamo.

Leia mais sobre 100 dias de Obama

* Com EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.